Alerta do Inmet indica perigo para Goiás por conta do tempo seco 

Mesmo após alguns dias de chuva na última semana, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou um alerta de perigo no último sábado (11/8) sobre a baixa umidade do ar em Goiás. Por conta disso, muitos praticantes de atividade física sentem uma grande diferença no desempenho e relatam certo desconforto. Logo, é necessário ficar em alerta com as atividades ao ar livre ou em academias que não contam com sistema de climatização.

Nestes casos, é recomendado que o praticante interrompa a atividade de imediato a qualquer sintoma de mal-estar, como explica o educador físico e gerente da Bodytech, Diego Soares. “Isso porque a umidade relativa do ar baixa torna a respiração mais difícil, podendo causar, principalmente, desidratação, e até outros problemas mais sérios, afetando inclusive o coração”, complementa.

[relacionadas artigos=”132990″]

Segundo o profissional, é preciso ter cuidado redobrado durante esse período. “Para a prática de esportes, considera-se ideal a umidade relativa do ar entre 40% e 60%. Abaixo dessa faixa, o desconforto ocorre por causa da perda de líquido pelas células mucosas das vias aéreas e compromete não só a performance, mas a saúde do praticante”, alerta.

Ele explica que essas vias necessitam de vapor de água produzido a partir da água no nosso organismo, para evitar o ressecamento das células de revestimento presentes nas fossas nasais, laringe, traqueia, brônquios, nasais e faringe, que funcionam como um filtro para o ar que respiramos.

De acordo com o Soares, quando inspiramos um ar muito seco, a produção desse vapor é aumentada.

“Como é menos comum hidratar-se no inverno, já que suamos menos em baixas temperaturas, há menos água para evitar o ressecamento das vias aéreas, o que acaba levando a problemas respiratórios”, destaca.

Para não ter o desempenho prejudicado nas atividades ao ar livre durante o tempo seco, recomenda-se ingerir mais líquidos e realizar os exercícios em locais arborizados ou climatizados e em horários mais amenos, como o início da manhã e o final da tarde, evitando o horário entre as 10h e 16h.