Comissão que estuda a atualização da planta de valores imobiliários de Goiânia prorroga fim dos trabalhos para 15 de julho

Inicialmente estava previsto que o documento do grupo seria enviado para a Prefeitura nesta segunda-feira (30/6), para, em seguida, ser enviada para votação na Câmara Municipal

A comissão que visa apresentar o projeto com a nova Planta de Valores Imobiliários de Goiânia prorrogou o fim dos trabalhos para o dia 15 de julho. Inicialmente estava previsto que o documento do grupo seria enviado para a Prefeitura nesta segunda-feira (30/6), para, em seguida, ser enviada para votação na Câmara Municipal.

A elaboração da nova planta de valores e da tabela de preços das construções foi pedida pelo prefeito Paulo Garcia (PT) após fracassar sua tentativa de ajustar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e do Territorial Urbano (ITU) na capital, rejeitada na Câmara por 17 votos a 16 no ano passado. A maioria dos vereadores não acatou a fixação de alíquotas de 25% a 33% para imóveis residenciais e de 31% a 37% para comerciais.

Com a derrota, ele decretou a criação da comissão no final de maio deste ano. 15 vereadores a compõem: Anselmo Pereira (PSDB), Carlos Soares (PT), Cida Garcêz (SDD), Deivison Costa (PTdoB), Fábio Caixeta (PMN), Fábio Lima (PRTB), Paulinho Graus (PDT), Paulo Borges (PMDB), Paulo Azulão Júnior (PSB), Ricardo Luis (PSL), Rogério Cruz (PRB), Tatiana Lemos (PCdoB), Virmondes Cruvinel (PSD), e Welington Peixoto (PROS) e Zander Fábio (PSL). Também participam representantes da Secretaria Municipal de Finanças (José Marcos Pereira, Lázaro Rodrigues Naves e Danillo Moraes Gomes); do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de Goiás (Lucimar Alves Elias); da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Eliene Mendes de O. Feitosa); da Secretaria Estadual da Fazenda (Wanderlei José Borges); da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável (Edgar Canseco Almanza); e do Procon Goiânia (Miguel Tiago da Silva).

Assim que a proposta da comissão for elaborada, ela deve ser enviada para a prefeitura antes de ser remetida à Casa Legislativa. O prefeito tenta, com o reajuste, evitar que se agrave a crise financeira da capital. A intenção é que o projeto seja aprovado até o fim de agosto, para, então, entrar em vigor em 2015.

A última vez que a Planta de Valores Imobiliários foi atualizada foi em 2005.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.