Com ministro da Saúde, Hugol é oficialmente inaugurado nesta segunda-feira

Governador Marconi Perillo recebeu autoridades para o lançamento da obra, localizada na região Noroeste de Goiânia

Governador inaugura o Hugol. Fotos Rodrigo Cabral

Presidente da Agetop, Jayme Rincón, o governador Marconi Perillo e o ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante a inauguração do Hugol | Foto: Rodrigo Cabral

Em auditório lotado na manhã desta segunda-feira (6/7), o governador Marconi Perillo (PSDB) inaugurou a que classificou como “a maior obra de saúde pública já construída no Centro-Oeste”. Ao lado do ministro da Saúde, Arthur Chioro, o tucano abriu, oficialmente, o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

“Esse é um dia feliz, porque nó estamos entregando uma obra que vai ser muito boa para as pessoas mais necessitadas. Estamos cumprindo o que estabelece a Constituição, estamos cumprindo o nosso programa de governo entregando a maior obra de urgência e emergência construída no Brasil nos últimos anos. Uma obra que vai atender a população do Estado de Goiás, que vai salvar vidas, isso é o mais importante”, afirmou o governador em entrevista coletiva durante a inauguração.

Governador Marconi Perillo em inauguração do Hugol juntamente com ministro | Foto: Rodrigo Cabral

Governador Marconi Perillo em inauguração do Hugol juntamente com ministro | Foto: Rodrigo Cabral

Um dos idealizadores do projeto. o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón, exaltou a velocidade e a qualidade da obra. “Nós fizemos esse hospital em 25 meses. Isso é recorde. Ao custo de R$ 2,4 mil o metro quadrado. Por isso, governador, o senhor estabeleceu um novo parâmetro na execução de obras públicas em Goiás. Isso é referência. Daqui para a frente a obra do Hugo tem que ser padrão para que se execute outras obras em Goiás”, explicou.

Rincón enfatizou, ainda, que a inauguração é resultado da dedicação e empenho do governador. “Não tenho dúvidas de que a Saúde em Goiás será outra a partir de hoje. Nada disso teria acontecido se nós não tivéssemos no governo do Estado um visionário, obstinado, um governador que não investiu como nenhum outro na área da Saúde. Isso mostra que o governador continua muito à frente de seu tempo”, completou.

Secretário de Estado da Saúde, Leonardo Vilela enfatizou a preocupação do governo estadual em garantir “um dos melhores e mais experientes” corpos clínicos do Brasil, que contará 500 médicos prestando atendimento: “Tenho absoluta convicção de que o paciente terá um atendimento de primeiríssima linha”.

“Esse não será apenas mais uma hospital de urgências. Nós já temos hospital de urgências, que é referência, o Hugo. O Hugol, além de atender tudo aquilo que o Hugo atende, ele vai inovar na área de cardiologia, nas emergências, de queimaduras, enfim, será um grande diferencial. Esse hospital será equiparado aos melhores hospitais do mundo. Nós temos a convicção de que esse hospital será, logo logo, referência em termos de atendimento de urgências e emergências no país”, arrematou ele.

A solenidade de inauguração foi acompanhada por auxiliares, parlamentares, prefeitos, vereadores, líderes comunitários da Região Noroeste, funcionários do hospital e representantes de entidades médicas do Estado. Os senadores goianos Lúcia Vânia (Sem partido) e Wilder de Morais (DEM) estiveram presentes. Os prefeitos Maguito Vilela (Aparecida de Goiânia), Misael Oliveira (Senador Canedo) e Paulo Sérgio de Rezende (Hidrolândia) também acompanharam a cerimônia.

Aberto ao público

Foto: Rodrigo Cabral

Foto: Rodrigo Cabral

Durante o evento, foi assinada portaria do Ministério da Saúde autorizando o aporte de recursos, para o custeio da unidade, no valor de R$ 32.110.306,32 para o ano de 2015. O governo estima um gasto de R$ 15.290.622,06 por mês com a unidade.

A solenidade foi finalizada com o descerramento da placa de inauguração e dos totens de homenagem. Os painéis trazem os nomes de todos aqueles que colaboraram, de alguma forma, com a construção do Hugol.

Após o encerramento do evento, ao meio-dia, o Hugol abriu as portas para receber os pacientes. A ocupação dos 510 leitos ocorrerá à medida do fluxo de regulação, segundo o perfil de atendimento definido para o hospital, informa a SES.

O secretário de Estado da Saúde de Goiás, Leonardo Vilela, esclarece que o Hugol atenderá os casos referenciados pelo Complexo Regulador do Estado e da capital. Para a unidade, enfatiza, serão encaminhados predominantemente os casos de gravidade.

Segundo acordo definido entre a SES-GO/ SMS Goiânia e Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (Agir), Organização Social que administrará a unidade, o pedido à Central de Regulação será feito pelo Samu, Siate e Central de Regulação e pelos Cais Goiá, Campinas, Curitiba, Cândida de Morais e Finsocial. Depois da triagem pelos médicos do Hugol, os casos menos graves serão encaminhados para os Cais Finsocial, Amendoeiras, Jardim América e Guanabara.

Quem mora no interior também seguirá o sistema de regulação para ter acesso ao Hugol. O hospital atenderá preferencialmente os habitantes dos municípios da região Oeste do Estado, que compõem as regionais de Saúde da Cidade de Goiás, Iporá e São Luís de Montes Belos. O Samu ou hospitais destas cidades entrarão em contato com o Sistema de Regulação de Goiânia, que definirá o encaminhamento do paciente para o Hugol.

Ainda de acordo com a SES, a prioridade de atendimento no Hugol será para os casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto, queimados graves e politrauma pediátrico. Também fazem parte deste grupo prioritário os pacientes com politraumatismo residentes nas regiões Noroeste e Oeste de Goiânia, que formam a área de abrangência do hospital.

Serviços

Um dos destaques do Hugol será o Centro de Queimados Dr. Nelson Picollo. O serviço será o único de alta e média complexidade para vítimas de queimaduras no SUS em Goiás e terá “atendimento multiprofissional, humanizado e com equipamentos de ponta”. O atendimento prestado será para os queimados com risco eminente de morte. A unidade será uma referência para queimaduras com lesões graves, que precisam de internação imediata. O atendimento será em casos de queimaduras de 2º e, especialmente, de 3º grau.

Um diferencial do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira é o atendimento das urgências clínicas, que compreendem os casos graves de especialidades como a Cardiologia, Urologia, Neurologia, Pneumologia, Nefrologia, Hematologia e Clínica Geral.

O atendimento de traumatologia pediátrica também vem suprir uma lacuna na rede estadual de saúde. O Hugol será referência no Estado na assistência hospitalar de alta complexidade em crianças vítimas de traumas. Com o perfil diferente do Hospital Materno Infantil (HMI), concentrado no atendimento em urgências clínicas, o Hugol terá, para o atendimento pediátrico, 60 leitos de enfermaria e 19 de UTI e será responsável por diminuir os gargalos da oferta de atendimentos na rede de urgências em pediatria. Até o momento, os casos de ortopedia/trauma em crianças não possuíam uma unidade de referência no SUS em Goiás.

Outra exclusividade do novo hospital será o Banco de Sague. Inserida na Hemorrede Pública de Goiás, a unidade é a primeira do território brasileiro a ter o sistema Hemovida Web testado por completo, o que inclui desde o cadastro até a dispensação do hemocomponente. O Hemovida Web conta com o suporte do Ministério da Saúde e DataSUS e é um projeto-piloto do Ministério.

Sustentabilidade

O projeto do Hugol, elaborado por técnicos da Agetop, seguiu padrões internacionais exigidos pelos organismos de saúde, o que o tornou o mais moderno hospital de urgências em funcionamento no País.

Com nove grupo geradores e aquecimento solar, possui também uma Laje Técnica que concentra os controles-mestres de todo o hospital, que permite realizar serviços de conservação com o mínimo de transtornos na rotina da unidade. É possível, por exemplo, consertar um problema hidráulico ou elétrico sem ter que remover pacientes dos leitos. O seu diferencial passa ainda pelo acesso biométrico aos departamentos e aos centros cirúrgicos, que é feito por equipamentos de alta tecnologia, no controle e fiscalização de entrada e saída.

O hospital conta ainda com a Central de Resíduos, com triturador de lixo e autoclave, redes de gases medicinais e lógica, rede própria de saneamento básico e central de esterilização de materiais. A autoclave e o triturador de lixo estão entre as aquisições de maior destaque. O conjunto é o primeiro a ser adquirido na região Centro-Oeste.

Na parte externa o Hugol possui estacionamento para 1.000 veículos e heliponto.

Números e especialidades

Unidade de Saúde de alta e média complexidade em Urgência e Emergência, Hospital da Rede Hugo com acesso regulado. Hospital de assistência, ensino, pesquisa e extensão universitária.
Especialidades

Cirúrgica: cirurgia geral, pediátrica, bucomaxilofacial, torácica, plástica (para o centro de queimados), neurológica, vascular e ortopédica/traumatológica;
Médica: clínica geral, pediátrica, cardiológica, gastroenterológica, urológica, neurológica, pneumológica, nefrológica, hematológica;
Medicina intensiva: adulta e pediátrica, unidade de queimados

Ficha técnica
• Ambientes: 510 leitos
• Emergência: 58 boxes
• Enfermarias: 360 (60 Ortopedia e Traumatologia, 60 Clínica Médica, 60 Especialidades, 60 de Cardiovasculares, 60 de Clinica Pediátrica, 60 de Clinica Cirúrgica).
• Centro de Queimados: 13 (6 Apartamentos Individuais sendo 1 leito de isolamento e 7 leitos de UTI)
• UTI: 86 (60 Adulto, 19 Pediátrica e 7 Queimados)
• 21 Salas Cirúrgicas
• Setor de Hemodinâmica (Banco de Sangue) – Previsão de 2,5 a 3 mil transfusões/mês; primeira unidade do Brasil a usar o sistema Hemovida Web
• 21 Consultórios de retorno
• Central de Diagnósticos para Exames de tomografia, ultrassonografia, eletrocardiograma, ecocardiografia com ecodoppler, raio-x, endoscopia, videolaparoscopia, análises clínicas, anatomia patológica e terapia renal substitutiva.

Capacidade de Atendimento
Internação: capacidade para 510 internações
Cirurgias: até 21 cirurgias simultâneas
Exames: atendimento de 24 horas para emergência e exames para regulação
Consultas: consultas de retorno, de acordo com a demanda.
Funcionários: 3.000 profissionais / 497 médicos
Estimativa de movimentação diária de pessoas: 7 mil pessoas

 

Funcionamento

Logo após a solenidade de abertura, às 12 horas, o Hugol abriu as portas para receber os pacientes. A ocupação dos 510 leitos ocorre à medida do fluxo de regulação, segundo o perfil de atendimento definido para o hospital.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde de Goiás, Leonardo Vilela, o Hugol passa a atender os casos referenciados pelo Complexo Regulador do Estado e da capital. Para a unidade, enfatiza, serão encaminhados predominantemente os casos de gravidade.

Segundo acordo definido entre a SES-GO/ SMS Goiânia e Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (Agir), Organização Social que administra a unidade, o pedido à Central de Regulação deve ser feito pelo Samu, Siate e Central de Regulação e pelos Cais Goiá, Campinas, Curitiba, Cândida de Morais e Finsocial. Depois da triagem pelos médicos do Hugol, os casos menos graves são encaminhados para os Cais Finsocial, Amendoeiras, Jardim América e Guanabara.

Quem mora no interior também seguirá o sistema de regulação para ter acesso ao Hugol. O hospital atenderá preferencialmente os habitantes dos municípios da região Oeste do Estado, que compõem as regionais de Saúde da Cidade de Goiás, Iporá e São Luís de Montes Belos. O Samu ou hospitais destas cidades entrarão em contato com o Sistema de Regulação de Goiânia, que definirá o encaminhamento do paciente para o Hugol.

A prioridade de atendimento no Hugol será para os casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto, queimaduras graves e politrauma pediátrico. Também fazem parte deste grupo prioritário os pacientes com politraumatismo residentes nas regiões Noroeste e Oeste de Goiânia, que formam a área de abrangência do Hugol.

Serviços 

O Hugol passa a oferecer à população goiana serviços de saúde que serão referência na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) do Estado. Um deles é o Centro de Queimados Dr. Nelson Picollo. O serviço será o único de alta e média complexidade para vítimas de queimaduras no SUS em Goiás e terá um atendimento multiprofissional, humanizado e com equipamentos de ponta.

O atendimento prestado no Hugol é destinado para os queimados com risco eminente de morte. A unidade passa a ser uma referência para queimaduras com lesões graves, que precisam de internação imediata. O atendimento na unidade é destinado para casos de queimaduras de 2º e, especialmente, de 3º grau.

Um diferencial do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira é o atendimento das urgências clínicas, que compreendem os casos graves de especialidades como a Cardiologia, Urologia, Neurologia, Pneumologia, Nefrologia, Hematologia e Clínica Geral.

O atendimento de traumatologia pediátrica vem suprir, ainda, uma lacuna na rede estadual de saúde. Assim, o Hugol também passa a ser referência no Estado na assistência hospitalar de alta complexidade em crianças vítimas de traumas. Com o perfil diferente do Hospital Materno Infantil (HMI), concentrado no atendimento em urgências clínicas, o Hugol terá, para o atendimento pediátrico, 60 leitos de enfermaria e 19 de UTI e será responsável por diminuir os gargalos da oferta de atendimentos na rede de urgências em pediatria. Até o momento, os casos de ortopedia/trauma em crianças não possuíam uma unidade de referência no SUS em Goiás.

Outra exclusividade do novo hospital é o Banco de Sangue. Inserida na Hemorrede Pública de Goiás, a unidade é a primeira do território brasileiro a ter o sistema Hemovida Web testado por completo, o que inclui desde o cadastro até a dispensação do hemocomponente. O Hemovida Web conta com o suporte do Ministério da Saúde e DataSUS e é um projeto-piloto do Ministério.

Sustentabilidade

O projeto do Hugol, elaborado por técnicos da Agetop, seguiu padrões internacionais exigidos pelos organismos de saúde, o que o tornou o mais moderno hospital de urgências em funcionamento no País. A obra foi construída com custo reduzido, com emprego de tecnologia e técnicas que permitiram agregar valor ao prédio.

Com nove grupo geradores e aquecimento solar, que baratearão o custo de sua manutenção, o Hugol possui também uma Laje Técnica que concentra os controles-mestres de todo o hospital, que permite realizar serviços de conservação com o mínimo de transtornos na rotina da unidade.  É possível, por exemplo, consertar um problema hidráulico ou elétrico sem ter que remover pacientes dos leitos. O seu diferencial passa ainda pelo acesso biométrico aos departamentos e aos centros cirúrgicos, que é feito por equipamentos de alta tecnologia, no controle e fiscalização de entrada e saída.

Para humanizar o espaço externo que circunda o Hugol, construído em terreno de 137 mil metros quadrados, foi desenvolvido um projeto paisagístico de fácil manutenção e com irrigação automatizada, o que dá brilho especial a toda sua área verde. Com a mesma preocupação foi criada a Capela Ecumênica para os momentos de oração. Ornamentada com tipos variados de flores e arbustos, a Capela recebeu um painel de vitral, doado pelo artista plástico goianiense Duda Badan.

O hospital conta ainda com a Central de Resíduos, com triturador de lixo e autoclave, redes de gases medicinais e lógica, rede própria de saneamento básico e central de esterilização de materiais. A autoclave e o triturador de lixo estão entre as aquisições de maior destaque. O conjunto é o primeiro a ser adquirido na região Centro-Oeste.

Na parte externa o Hugol possui estacionamento para 1.000 veículos, projeto paisagístico e heliponto para agilização do atendimento emergencial.

Visitas

Governador Marconi apresenta Hugol para os governadores Marcelo Miranda (PMDB-TO) e Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) | Foto: Humberto Silva

Governador Marconi apresenta Hugol para os governadores Marcelo Miranda (PMDB-TO) e Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) | Foto: Humberto Silva

O governador realizou durante as últimas duas semanas uma série de visitas com autoridades e lideranças ao Hugol para apresentar a grandiosidade da obra.

Entre os convidados, prefeitos, como o de Goiânia, Paulo Garcia (PT); líderes empresariais; membros do Ministério Público; Tribunal de Contas do Município e do Estado; desembargadores e juízes; médicos; religiosos; bancada federal e estadual; e governadores de outros Estados, como Marcelo Miranda (PMDB-TO), Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF).

Hugol em números
Prédio
Início das obras: Ordem de Serviço expedida em 3 de junho de 2013
Construído em prazo recorde: 25 meses

Investimentos
Inteiramente feitos pelo Tesouro Estadual
Obra: R$ 168.255.381,42 milhões (cerca de 2.400,00 reais o m2, menor que a média para obras de grande porte que é de 2.500,00 reais/m2).
Equipamentos: R$ 95.348.409,02 milhões em equipamentos, insumos e mobiliário.
Custeio: R$ 15.290.622,06/mês

Perfil
Unidade de Saúde de alta e média complexidade em Urgência e Emergência, Hospital da Rede Hugo com acesso Regulado. Hospital de assistência, ensino, pesquisa e extensão universitária.

Especialidades
Cirúrgica: cirurgia geral, pediátrica, bucomaxilofacial, torácica, plástica (para o centro de queimados), neurológica, vascular e ortopédica/traumatológica;
Médica: clínica geral, pediátrica, cardiológica, gastroenterológica, urológica, neurológica, pneumológica, nefrológica, hematológica;
Medicina intensiva: adulta e pediátrica, unidade de queimados

Ficha técnica
• Ambientes: 510 leitos
• Emergência: 58 boxes
• Enfermarias: 360 (60 Ortopedia e Traumatologia, 60 Clínica Médica, 60 Especialidades, 60 de Cardiovasculares, 60 de Clinica Pediátrica, 60 de Clinica Cirúrgica).
• Centro de Queimados: 13 (6 Apartamentos Individuais sendo 1 leito de isolamento e   7 leitos de UTI)
• UTI: 86 (60 Adulto, 19 Pediátrica e 7 Queimados)
• 21 Salas Cirúrgicas
• Setor de Hemodinâmica (Banco de Sangue) – Previsão de 2,5 a 3 mil transfusões/mês; primeira unidade do Brasil a usar o sistema Hemovida Web
• 21 Consultórios de retorno
• Central de Diagnósticos para Exames de tomografia, ultrassonografia, eletrocardiograma, ecocardiografia com ecodoppler, raio-x, endoscopia, videolaparoscopia, análises clínicas, anatomia patológica e terapia renal substitutiva.

Capacidade de Atendimento
Internação: capacidade para 510 internações
Cirurgias: até 21 cirurgias simultâneas
Exames: atendimento de 24 horas para emergência e exames para regulação
Consultas: consultas de retorno, de acordo com a demanda.
Funcionários:
3.000 profissionais
497 médicos
Estimativa de movimentação diária de pessoas: 7 mil pessoas

Este slideshow necessita de JavaScript.

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Goiás Coração do Brasil

Parabéns Goiânia-Go Pela inauguração do Hugo 2!

Neuru Faustino da Costa

parabens, Goiânia estava precisando de um hospital na região Noroeste.