Com fim do auxílio emergencial, indústria goiana apresenta recuo de 4,8 pontos, aponta ICEI

O ICEI Brasil caiu frente a dezembro e janeiro de 2020, ficando em 60,9 pontos, essa é a quarta vez consecutiva que o ICEI nacional fica acima do ICEI de Goiás

Dados do Índice de Confiança do Empresário Industrial em Goiás e no Brasil (ICE) | Foto: Divulgação

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) divulgou nesta terça-feira, 19, dados do Índice de Confiança do Empresário Industrial em Goiás (ICE), que mostra recuo de 4,8 pontos se comparado a dezembro de 2020, na confiança do setor com o fim do auxílio emergencial em janeiro de 2021.

Em Goiás, o resultado é o pior desde julho do ano passado. Com a nova onda da Covid-19, o fim do auxílio emergencial às empresas e às famílias, e as dúvidas quanto à vacinação influenciaram no indicador, que caiu para 57,5 pontos. Porém, mesmo com queda, o resultado segue acima dos 50 pontos.

Segundo os números, as empresas de grande porte foram as que se mostraram menos confiantes, o ICEI recuou 7,5 pontos, frente a dezembro, ficando em 56,7 pontos. O índice das empresas de pequeno porte foi de 58,2 pontos queda de 2,6 pontos. E as empresas de médio porte se mostraram as mais confiantes no mês, 58,3 pontos, porém com queda de 1,7 na comparação com dezembro.

Reflexo

A queda na confiança do empresário industrial também foi observada nacionalmente. O ICEI Brasil caiu frente a dezembro e janeiro de 2020, ficando em 60,9 pontos. Essa é a quarta vez consecutiva que o ICEI nacional fica acima do ICEI de Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.