Com fim da farra dos quinquênios, folha de pagamento da Comurg cai R$ 300 mil

Decisão do TCM impediu gestão Iris de manter supersalários de servidores e redução nos valores é assustadora 

Vereador Elias Vaz | Foto: Eduardo Nogueira

O vereador Elias Vaz (PSB) subiu à tribuna da Câmara Municipal na manhã desta quarta-feira (28/6) para apresentar a diferença entre as folhas de pagamento da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) antes e depois da redução no pagamento dos quinquênios.

Comparando fevereiro (quando o parlamentar fez a denúncia de pagamentos irregulares) com maio (após o Tribunal de Contas dos Municípios, o TCM, proibi-los), a redução chega a 75% se considerados apenas os 40 servidores que recebiam os benefícios mais altos. A soma do quinquênio desses funcionários caiu de R$ 420,3 mil para R$107,2 mil por mês.

No total, a redução estimada é de mais de R$

“É uma redução considerável. A prefeitura vinha gastando valores absurdos com o quinquênio de servidores apadrinhados, que recebiam vantagens, e essa Casa decidiu enfrentar a situação. É o resultado do trabalho de fiscalização”, argumentou.

No topo do ranking dos maiores quinquênios divulgado pelo vereador estava um advogado que recebia apenas de gratificações R$ 24.102,16. O corte reduziu o quinquênio do servidor para R$3.607, 72.

Ex-presidente da Comurg e primo de Agenor Mariano (secretário de Planejamento de Goiânia), Ormando José Pires Júnior foi altamente atingido pela medida: o quinquênio caiu de R$21.680,31 para R$823,66 de fevereiro para maio.

“Não podemos permitir essa farra com o dinheiro público, enquanto a prefeitura alega falta de recursos para investimentos básicos. A medida mostra claramente que há problemas de gestão no município. Como pode um servidor acumular, só de quinquênio, mais que o salário do prefeito”, questiona Elias Vaz.

De cima a baixo

Durante a argumentação, o vereador se mostrou preocupado com os funcionários que recebem baixos salários, como garis e coletores de lixo. Elias Vaz defende que a Comurg encontre medidas legais para corrigir o corte determinado pelo Tribunal de Contas dos Municípios — que atingiu dos supersalários até os mais baixos.

“Não é justo que esses funcionários sejam punidos por desmandos dos marajás da Comurg. É preciso sim acabar com essa disparidade de salários, promovendo justiça e não aumentando a injustiça”, alertou.

A pedido da vereadora Priscilla Tejota (PSD), o TCM fez auditoria na Comurg, com destaque para solicitação de Elias Vaz sobre apuração dos quinquênios. No início de abril, o Tribunal expediu medida cautelar determinando que a prefeitura faça o recálculo dos quinquênios; não conceda incorporação de gratificações aos trabalhadores e não firme nova Convenção Coletiva nem faça aditivos às regras vigentes que possam lesar o patrimônio da Companhia.

Lista

Veja abaixo a lista divulgada pelo vereador Elias Vaz: Nova Planilha de QUINQUÊNIO- COMURG.

 

Uma resposta para “Com fim da farra dos quinquênios, folha de pagamento da Comurg cai R$ 300 mil”

  1. Avatar R. Hochleitner disse:

    Melhor que multar seria fazer os trotistas em serviços de emergência passarem algumas horas no xilindró até que alguem venha lhes pagar a fiança. Multas vão simplesmente ser ignoradas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.