Clima seco mantém focos de incêndio em parque estadual

Altamiro de Moura Pacheco é atingido por queimada desde o dia 18. Novos indícios mantém umidade relativa do ar baixa — hoje bate em 24%

Parque Altamiro de Moura Pacheco fica quase invisível com fumaça | Foto: Ana Clara Lima/Leitora

Parque Altamiro de Moura Pacheco fica quase invisível com fumaça | Foto: Ana Clara Lima/Leitora

O clima seco e a consequente baixa umidade relativa do ar em Goiânia nas últimas 24 horas se tornaram os maiores inimigos do Corpo de Bombeiros, que combate desde a última sexta-feira (18) incêndio no Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco (PEAMP).

Focos de chamas e a fumaça insistem em continuar na unidade de preservação. A umidade do ar tem mínima de 24%, e a máxima de 70%. Os termômetros podem bater até 36º hoje. Na paisagem cinzenta, os aviões que pousam e decolam do Aeroporto Santa Genoveva passam desapercebidos da visão — ouve-se apenas os barulhos. O fogo chegou à beira da BR-60 na noite de ontem.

O grande desafio é evitar que a queimada atinja a área de preservação do Reservatório João Leite. O fogo chegou a ser controlado no PEAMP no domingo (20), mas as chamas tomaram novas proporções devido ao clima.

A paisagem na região parece estar mais seca que as outras regiões da capital pela proximidade com o parque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.