Chuva destrói seis pontes e deixa mil famílias ilhadas na Chapada dos Veadeiros

Prefeituras decretaram situação de calamidade pública e pediram ajuda ao Governo Federal; governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), chegou a visitar a região nesta segunda-feira, 27

Após fortes chuvas que levaram pelo menos seis pontes, cerca de mil famílias das comunidades quilombolas se encontram ilhadas e isoladas em Cavalcante e Monte Alegre, região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Informação foi revelada pelo prefeito da Cavalcante, Wilmar Sousa Costa, ou Wilmar Kalunga. Com o ocorrido, prefeituras decretaram situação de calamidade pública e solicitaram ajuda ao governo federal.

Diversas comunidades, inclusive, estão com suas casas e lavouras embaixo d’água depois de os rios transbordarem. Além disso, parte do asfalto da GO-118 cedeu e deixou a rodovia parcialmente destruída. As estradas ainda contam com atoleiros, que impossibilitam resgates por terra. Pelo menos três das comunidades quilombolas da região da Chapada se encontram isoladas.

Na comunidade Kalunga, que é a principal da região, não há energia há quatro dias. Já no Vão das Almas e no Vão do Moleque, cerca de 400 famílias não tem como sair do local e aguardam por resgate. “É bastante prejuízo. Nós temos hoje mais de 600 famílias ilhadas dentro do município, principalmente na comunidade kalunga, uns que as pontes caíram e outros porque está ilhado dos rios. Não tem para onde sair. Hoje, Cavalcante está quase toda ilhada”, disse Wilmar.

Já o prefeito de Monte Alegre, Filipe Sousa Campos, afirmou acreditar que, das 600 famílias que vivem no local, 400 estejam isoladas. Está tudo alagado. Mais de 36 horas chovendo direto e as cheia dos rios, principalmente o rio Paranã, deixou essas famílias ilhadas na comunidade quilombola kalunga”, pontuou.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e o presidente da Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte (Goinfra), Pedro Sales, chegaram a visitar a região nesta segunda-feira, 27, para vistoriar a interdição da rodovia que liga os municípios de Teresina de Goiás e Alto Paraíso de Goiás. A Goinfra informou que está mobilizando equipamentos e equipes para definir a estratégia de correção da erosão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.