Centenário de governador que modernizou Goiás é celebrado

Mauro Borges morreu em 2013, tendo vivido até os 93 anos de idade, e deixando legado de planejamento no Estado 

Mauro Borges governou goiás de 1961 a 1964, sendo deposto pelo regime militar | Foto: Reprodução / Arquivo pessoal

A Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) realizará nos primeiros dias de março uma sessão solene para homenagear o centenário de nascimento de Mauro Borges. Este foi o governador do estado de Goiás de 1961 à 1964, sendo deposto do cargo pela ditadura militar. Em seu legado, contam o Plano MB (Mauro Borges), a criação da Secretaria do Planejamento, conclusão do aeroporto Santa Genoveva, reestruturação da Companhia Energética de Goiás (Celg) e outros. Ele completaria 100 anos neste sábado, 15.

Legado de ex-governador inclui obras que são importantes no Estado até os dias de hoje | Foto: Reprodução / Arquivo pessoal

Ubiratan Teixeira, filho do ex-governador, afirma que sua intenção na sessão solene é principalmente relembrar o lado humano do gestor. “Convivi com ele, trabalhamos juntos e, por anos, indo de Brasília para a fazenda, tínhamos muito tempo para conversar sobre tudo. O percebo como uma personalidade muito especial; não conheci ninguém como ele. Tinha determinação, caráter trabalho, era muito aplicado. Planejava tudo exaustivamente em detalhes. É com carinho que guardo as lembranças de meu ídolo”.

Gestor valorizou a cultura e a comunicação nos anos que esteve à frente do Estado | Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

O deputado estadual Hélio de Souza afirma sobre o ex governador: “Foi uma figura ímpar, incomparável. Visionário, era um administrador fora de sua época. Ele criou o plano MB que deu alicerce para que Goiás fosse um estado moderno e as estruturas que planejou são importantes até hoje.” O Plano MB foi um projeto para integrar o estado no cenário econômico nacional.

Ubiratan Teixeira afirma que seu pai, Mauro Borges, era um leitor compulsivo | Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

A historiadora Tereza Cristina afirma que poucas produções discutem o período na historiografia goiana. “É uma gestão que não passa. Mauro Borges está sempre sendo reverenciado por sua administração competente e lisura no trato com a  coisa pública”. Segundo a historiadora, Mauro Borges se notabilizou por ter feito uma das primeiras tentativas de administrar de forma planejada ao invés de aderir ao tradicional balcão de negócios em Goiás. 

Apesar de deposto pelos militares, o próprio Mauro Borges chegou a ser coronel da reserva | Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Tereza Cristina também cita como positiva a visão de Mauro Borges em relação ao Consórcio de Empresas de Radiodifusão e Notícias do Estado (Cerne). O consórcio, que atuava como secretaria de cultura e de comunicação, com TVs e rádios estatais, além de incluir instituto popular de cultura e alfabetização para adultos. 

Obras no Estado ainda levam o nome do ex-governador, como o Complexo Viário Mauro Borges | Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Ubiratan Teixeira, filho do ex-governador, afirma que sua intenção na sessão solene é principalmente relembrar o lado humano do gestor. “Convivi com ele, trabalhamos juntos e, por anos, indo de Brasília para a fazenda, tínhamos muito tempo para conversar sobre tudo. O percebo como uma personalidade muito especial; não conheci ninguém como ele. Tinha determinação, caráter trabalho, era muito aplicado. Planejava tudo exaustivamente em detalhes. É com carinho que guardo as lembranças de meu ídolo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.