Caso Henry: Monique e Jairinho são indiciados por homicídio com emprego de tortura

Inquérito é encaminhado ao Ministério Público do Rio de Janeiro na tarde desta segunda-feira, 3

Dr. Jairinho e Monique | Foto: Reprodução

Na tarde desta segunda-feira, 3, a Polícia Civil do Rio concluiu as investigações do caso Henry Bolrel, morto na madrugada do dia 8 de março. A criança, que faria cinco anos hoje, foi assassinado no apartamento em que morava com a mãe e o padrasto na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. A mãe, Monique de Medeiros, e o companheiro, o vereador dr. Jairinho (sem partido) foram indiciados por homicídio duplamente qualificado, com emprego de tortura e recursos que dificultam a defesa.

O inquérito, segundo o portal UOL, foi concluído há oito semanas e laudos complementares foram anexados e devem ser encaminhados ao Ministério Público do Rio de Janeiro ainda nesta segunda. O parlamentar e Monique estão presos desde o dia 8 de abril e irão responder por tortura. Mensagens trocadas entre a mãe e a babá do menino confirmam que a mãe era informada das agressões enquanto elas ocorriam. Mesmo assim, Monique levou mais de três horas para retornar para casa.

Outra vítima

O vereador também foi indiciado, na última sexta-feira, 30, por crime de tortura majorada contra a filha de uma ex-namorada. Os crimes teriam acontecido entre 2010 e 2013, quando a criança tinha entre 3 e 5 anos. A vítima conta que teve a cabeça batida contra a parede de um banheiro e, em outro episódio de violência, foi afundada em uma piscina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.