Casal preso na Operação Confraria ostentava vida de luxo

Entre os bens do casal estão um automóvel de R$ 600 mil e uma casa avaliada em R$ 4 milhões

Foto: Reprodução

A vida de luxo levada pelo casal preso na manhã desta quinta-feira, 5, na Operação Confraria chamou a atenção da Polícia Federal. O gerente geral da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), Márcio Gomes Borges e sua esposa, Meire Cristina Borges, assessora especial da Governadoria, tinham gastos incompatíveis com a renda mensal do casal, além de carros de luxo e outros bens sequestrados pela PF.

Segundo informações do delegado da Polícia Federal, Charles Lemes, “o casal recebia de forma lícita cerca de R$ 15 mil reais por mês, no entanto os gastos mensais extrapolavam R$30 mil. Eles também possuíam um automóvel de R$600 mil e uma casa avaliada em R$ 4 milhões”, afirmou. Tudo isso com a suspeita de favorecer os processos ilegais na empresa, como, por exemplo, receber valores advindos de propina.

As investigações seguem e de acordo com o delegado novas prisões e apreensões podem ser realizadas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.