Casag investe em medidas para auxiliar a advocacia durante a pandemia

Todos os recursos e gastos com as ações de enfrentamento a Covid-19 podem ser acompanhadas pelo portal da transparência da Caixa

Assim como quase todos os setores, a advocacia sofre com a pandemia da Covid-19 e reflexos do isolamento social para frear a curva epidemiológica. Logo no início das ações de enfrentamento à doença, a Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag) adotou uma série de medidas em benefício para a classe.

Se trata de um pacote de ações que visam tanto o auxílio aos advogados, quanto o combate à doença. 

A  iniciativa resulta da impossibilidade de manutenção das atividades normais de advogados que sofrem com as restrições impostas ao exercício profissional e consequente redução de honorários. Além de manter o cuidado com saúde dos profissionais da classe.

O presidente da Casag, Rodolfo Otávio Pereira da Mota, aponta que há um esforço planejado para que a advocacia tenha todo o auxílio necessário durante a pandemia. “Tem sido um trabalho hercúleo. Saímos à frente inclusive das ações governamentais. Se nós verificarmos, quando tudo era incerto a Casag começou a atuar”, diz. 

Rodolfo relata que a Casag foi uma das primeiras no Brasil a implantar a telemedicina para atendimento médico dos advogados e familiares. “É uma forma de ajudar os advogados e também a não lotar o Sistema Único de Saúde e nem ambientes privados. Conseguimos cuidar do advogado e de sua família sem que saísse de casa”, avalia.

A medida se demonstra assertiva, já que foram feitas mais de 2,4 mil atendimentos e apenas em 21 dos casos os pacientes foram encaminhados para hospitais para uma consulta presencial. “Se fosse uma situação normal, esse universo de pessoas teria procurado hospitais e se contaminado, ou tirasse a possibilidade de atendimento de outro paciente mais grave”, aponta.

Além do atendimento clínico feito pela telemedicina, os advogados ainda contam com a atenção de psicólogos, nutricionista e enfermeiros. “É uma forma de auxiliar em outras demandas, em razão da psique, do isolamento, da angústia, da ansiedade e da depressão que o isolamento sem dúvidas causou em muitos”, conta Rodolfo.

Outra medida antecipada que a Casag tomou em relação a pandemia foi a promoção da vacinação contra gripe comum. “Isso contribuiu a medida eu que em uma eventual triagem, pessoas que apresentassem quadro gripal pode se descartar a possibilidade de ser influenza. Facilitaria o diagnóstico”, relata Rodolfo.

A vacinação promovida pela Casag seguiu as regidas medidas sanitárias para que se evitasse qualquer tipo de aglomeração ou contágio do coronavírus. Advogados que compunham o grupo de risco foram vacinados em casa, já os espaços disponibilizados para a vacinação tiveram determinação de distanciamento e reforço na higienização. “Mobilizamos mais de 130 profissionais para atender o estado e a capital. Foi uma atitude proativa para evitar qualquer aglomeração. Tanto é que até agora a notícia que temos na advocacia é que temos 5 contaminados”.

Comitê

A Casag foi exemplo para muitos outros estados ao formar um Comitê que dá auxílio técnico para tomada de decisões, esclarecendo dúvidas e debatendo os reflexos da pandemia. O Comitê conta com um médico que foi contratado pela Casag e que já há 60 dias tem compartilhado informações e trabalhado em conjunto para a tomada de decisões. 

“Vivemos um momento em que há muita controvérsia sobre os protocolos a serem seguidos. Tanto nos médicos, quanto na interação medicamentosa. Para nos ajudar nas melhores ações e nos melhores protocolos para gerir com maior eficiência os recursos financeiros da própria caixa e o que recebemos do Fida (Fundo de Integração e Desenvolvimento Assistencial dos Advogados (FIDA)”, avalia o presidente da Casag.

Recursos  X Transparência

Tantas ações de auxílio e prevenção demandam recursos. Rodolfo explica que há dois fundos que estão sendo utilizados para as medidas que beneficiam os advogados. Ele explica que há o auxílio extraordinário que é proveniente do fundo próprio da Casag, já o auxílio emergencial veio do Fida e que tem  possibilidades de usar na compra álcool gel, máscaras, contratação de telemedicina, contratação de profissionais para ajudar os advogados, e a criação do auxílio emergencial para os advogados.

“Todas as  de doação de máscaras, álcool em gel, contratação telemedicina… tudo foi feito com recurso próprio para que não tirasse da advocacia a possibilidade de reclamar o auxílio emergencial. Então essa é uma verba carimbada, que ainda não foi utilizada”, salienta Rodolfo. “Então é isso que está voltado a quem está vivendo um momento de absoluta carência, com dificuldades em casa. Não é voltado a todo e qualquer advogado”, diz.

O presidente da Casag diz ter total preocupação com a transparência com os gastos dos recursos voltados para auxílio no período de pandemia. “Nós queremos também prestar contas para demonstrar o porquê de processos indeferidos, quais foram deferidos e quais as razões. Por exemplo, em casos de indeferimentos tem advogados que não enviaram provas e nenhum documento, só fizeram o pedido e nós não pudemos atestar a necessidade e nem a falta dela. Nós tivemos outros que não têm vulnerabilidade e que não são elegíveis. Só a pandemia não justifica o recebimento do auxílio, eu tenho que provar que outros fatores aliados à ela impactaram minha renda”, explica.. 

Dentro do site da Casag há uma campo com toda prestação de conta voltada exclusivamente para esse momento de pandemia onde são nominadas as ações solidárias e o que foi feito com os recursos próprios. Os recursos e gastos podem ser acessados pelo endereço: http://momentocovidcasag.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.