Caoa já suspendeu investimentos em Anápolis e deixou de contratar 300 funcionários, diz sindicato

Presidente do SindMetana diz que caso deputados não cessem ofensiva para que sejam revogados os incentivos fiscais do setor automotivo, cerca de três mil pessoas perderam o emprego na cidade

Foto: Divulgação

Durante uma assembleia realizada nesta quarta-feira, 16, na empresa Caoa, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Anápolis (SindMetana), Reginaldo Faria, disse que a montadora que produz carros das marcas Hyundai e Chery já suspendeu investimentos na cidade e deixou de contratar 300 funcionários.

“A Caoa está para lançar um novo produto, mas para isso precisa de investimentos. A empresa já decidiu que esse lançamento não acontecerá aqui em Anápolis e pretende levar os investimentos para viabilizar esse produto para a planta de Jacareí, em São Paulo. Com isso, a montadora deixou de contratar aqui cerca de 300 funcionários”, afirmou Reginaldo.

De acordo com o presidente do SindMetana a situação pode ficar ainda pior dependendo dos resultados da CPI dos Incentivos Fiscais realizada pela Assembleia Legislativa. “Eu conversei com o CEO da montadora e ele demonstrou bastante preocupação. Ele me disse que se não reverterem esse cenário, já no primeiro semestre do próximo ano precisará demitir cerca de 500 dos 1,5 mil funcionários da empresa”.

Reginaldo pontuou que o impacto para a cidade de Anápolis é ainda maior se analisada a cadeia inteira. “Com a redução da produção da Caoa, as auto peças que estão aqui e fornecem produtos para a empresa também serão prejudicadas. Estamos falando de cerca de três mil pessoas que podem ficar desempregadas”, especula.

A revogação de incentivos fiscais é amplamente debatida na Assembleia Legislativa.  O tema não é consenso entre os parlamentares; há um grupo que avalia que a CPI terá sérios desdobramentos que vão além da saída de empresas do estado: a falta de atrativos para que outras se instalem por aqui.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.