Cantor que se passava por vocalista da banda Luxúria é preso em Piranhas

Grupo se anunciou na rádio local como a banda baiana, espalhou cartazes pela cidade e distribuiu CDs com a foto do suposto cantor e o logotipo da banda original

À esquerda, material de divulgação oficial da banda de 2013. À direita, material distribuído pelo falso cantor em Piranhas | Fotos: divulgação / Promotoria de Justiça de Piranhas

À esquerda, material de divulgação oficial da banda de 2013. À direita, material distribuído pelo falso cantor em Piranhas | Fotos: divulgação / Promotoria de Justiça de Piranhas

Na última sexta-feira (16/1), uma ação das Polícias Militar e Civil e da Promotoria de Justiça de Piranhas terminou com a prisão em flagrante de um cantor e o empresário de uma banda que iria se apresentar no Parque de Exposições da cidade como sendo a banda Luxúria, que ficou famosa pela música Gordinho Gostoso.

A operação, denominada “Arrocha”, foi deflagrada após a promotoria ter recebido uma denúncia de que o falso grupo estaria rodando o Estado de Goiás fazendo shows, aproveitando o relativo sucesso alcançado pela banda, principalmente na região Nordeste do País.

Foi apurado que quando o grupo chegou a Piranhas para a apresentação, eles se anunciaram na rádio local como banda Luxúria e espalharam cartazes com o logotipo da banda original. Além disso, eles comercializaram CDs piratas com a foto do suposto cantor na capa, mas com o áudio da banda original.

Coyote: atual vocalista da banda | Foto: divulgação

Coyote: atual vocalista da banda | Foto: divulgação

A foto utilizada nos cartazes e CDs imitava a que havia sido usada na divulgação da banda em 2013, quando o vocalista ainda era Neto. Hoje em dia, a banda é liderada pelo cantor Coyote.

O promotor de Justiça Ramiro Carpenedo Martins Netto apontou que os investigados cometeram os crimes dos artigos 171 (estelionato) e 184 (violação de direito autoral), parágrafos 1º e 2º, do Código Penal, e do artigo 66 (propaganda enganosa) do Código de Defesa do Consumidor.

Segundo o promotor, todos os músicos da banda, os profissionais da rádio em que eles se apresentaram e os organizadores do evento foram conduzidos para a delegacia para prestarem seus depoimentos.

O cantor pagou a fiança R$ 3 mil e foi libertado com a condição de não realizar outros shows dessa natureza, sob pena de prisão preventiva. O empresário segue detido.

Recorrente

O advogado Uitamar Júnior da DI Oliveira Produções, produtora da Luxúria, disse, em entrevista ao Jornal Opção Online que eles já sabiam da banda. De acordo com ele, a produtora ficou sabendo do grupo quando eles estavam em São Paulo e entrou com ação que foi deferida. Porém depois da ação a falsa Luxúria não foi tocar.

Depois ele iniciou novamente a ação em Brasília e o promotor da cidade de Piranhas atendeu a veracidade dos fatos e resolveu representar a banda pelos crimes de violação de direitos autorais e falsidade ideológica.

O advogado afirmou que vai dar continuidade aos trabalhos para preservar o direito da produtora e também “resguardar a todos os fãs da banda Luxúria, que acabam sendo alvos e vítimas de toda essa ‘bagunça'”.

 

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Vanilde t.Jesus

A ! Mais. Existem muitos falsos porai mesmo! Só. Pra ter certezas. Mesmos! !
Se foi a banda. Luxúria. Mesmo. Que. Estave No Jardim. Ester. Yolanda. Butantã?? Mais. Preciso na rua celso. Lagar. Eventos. Foi realizado. No dia 13/01