Candidatos à Presidência da Câmara pedem votos na véspera da eleição

Eduardo Cunha, Chinaglia, Delgado e Chico Alencar disputam a preferência dos deputados federais eleitos. Goianos preferem Eduardo Cunha

Eduardo Cunha (PMDB-RJ); Arlindo Chinaglia (PT-SP), Júlio Delgado (PSB-MG); e Chico Alencar (PSOL-RJ) na disputa pela presidência | Fotos: Agência Brasil e Câmara dos Deputados

Eduardo Cunha (PMDB-RJ); Arlindo Chinaglia (PT-SP), Júlio Delgado (PSB-MG); e Chico Alencar (PSOL-RJ) na disputa pela presidência | Fotos: Agência Brasil e Câmara dos Deputados

Os quatro deputados que disputam neste domingo (1º/2) a presidência da Câmara dos Deputados iniciaram o dia tentando convencer os colegas em favor de suas candidaturas.

No plenário Nereu Ramos, os deputados novatos, que tomam posse também neste domingo, participaram de um evento promovido pela Casa, que contou com a presença dos candidatos Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Arlindo Chinaglia (PT-SP), Júlio Delgado (PSB-MG) e Chico Alencar (PSOL-RJ).

O líder e candidato do PMDB, Eduardo Cunha, se reuniu com deputados da Frente Parlamentar da Agricultura. Após passar pelo encontro de ambientação dos parlamentares, onde falou sobre reforma política, ao lado dos adversários, Cunha era aguardado em dois almoços e um chá com bancadas como a feminina e esposas de deputados. No fim do dia, o candidato oferece um jantar para todos os deputados.

Após se reunir com a bancada do PSB, Júlio Delgado participou de uma reunião que formalizou o apoio do PSDB, PPS e PV à sua candidatura. “Nós não temos aqui a posição partidária, é a posição de atuação. O que esse bloco consolida é que nós temos duas candidaturas que não têm vínculo com o governo, ou com cargos do governo, e por isso dará a elevação da estatura que precisamos para o Poder Legislativo”, disse Delgado, adiantando que os parlamentares dos outros partidos pretendem manter o bloco de forma permanente.

Correndo individualmente no corpo a corpo para convencer os colegas, Chico Alencar disse que não conta com o apoio formal de outros partidos, mas tem conversado com todos os parlamentares e apresentado a sua plataforma.

O seu projeto, disse, não visa a atender a “pauta corporativista interna” da Câmara. “O importante é o convencimento, você trazer propostas relevantes que deem conta do resgate do Parlamento como casa de fato do povo, e não casa de poucos”, afirmou.

Já Arlindo Chinaglia, que também esteve presente no evento que detalhou o funcionamento da Casa aos novatos, participa de reuniões ao longo do dia com colegas deputados.

No fim da tarde, ele comparece a um coquetel com parlamentares mulheres no centro de Brasília e, depois, janta com parlamentares e parentes em um clube, também na capital federal. Às 16 horas, seus apoiadores fazem uma reunião da bancada na Câmara dos Deputados.

Goianos

O Jornal Opção Online fez um levantamento de como devem votar os 17 parlamentares eleitos por Goiás. A maioria deles deve apoiar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) — que é favorito absoluto para vencer a disputa.

Pelo menos dez deputados goianos estão fechados com o peemedebista. Toda a bancada do PSDB, mesmo o partido já tendo oficializado apoio a Júlio Delgado, deve votar em Cunha. Chinaglia, candidato do governo federal, deverá ter seis votos da bancada goiana.

*Com informações da Agência Brasil

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.