Câmara de Goiânia aprova pedido de vistas do relatório da CEI das Pastinhas

Vereador Carlos Soares, do PT, argumentou que o projeto “mexe com a vida de muitos servidores”, portanto, precisa de melhor análise

Vereador Carlos Soares pediu vistas | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

Vereador Carlos Soares pediu vistas | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

A Câmara Municipal de Goiânia aprovou, na manhã desta terça-feira (15/3), o pedido de vistas ao projeto do relatório da Comissão Especial de Inquérito (CEI) das Pastas Vazias feito pelo vereador Carlos Soares (PT).

De acordo com ele, que é integrante da comissão, o relatório final “mexe com a vida” de muitos servidores públicos e precisa ser “melhor discutido”.

A CEI das Pastinhas culminou na invalidação de 16 alvarás, impedindo a construção de mais de 3,5 mil apartamentos em vários setores. Foi instalada em junho de 2015, a partir de denúncias do protocolo de pastas vazias para concessão de alvarás, anunciadas na Câmara e publicadas em primeira mão pelo Jornal Opção, apurou ainda contratação de servidores da extinta Seplam por parte de empreiteiras para prestar serviços de arquitetura, consultoria e execução de projetos.

Foram abertas no Ministério Público de Goiás (MPGO), Controladoria Geral do Município (CGM) e Polícia Civil representações contra 29 servidores públicos municipais — incluindo três ex-secretários –, 23 empresas e 17 empresários. Os casos de irregularidades na atuação de servidores foram encaminhados aos conselhos de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU Goiás) e de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO).

O vereador Paulo Magalhães (SD), que compôs a CEI, se disse “estarrecido” com o pedido do colega, pois o trabalho foi “muito meticuloso”, portanto, pedido de vistas seria injustificável. “É isso que acontece quando matamos sessão, Carlos Soares”, alfinetou.

Após exaltar o trabalho da comissão, que foi a primeira que realmente “funcionou”, o parlamentar destacou que “peixes grandes” foram investigados, mas lamentou que o empresário Lourival Louza não compareceu: “É poderoso, né”.

Presidente da CEI das Pastinhas, Elias Vaz (PSB) garantiu que cumpriu “todos os preceitos constitucionais” e, inclusive, deu publicidade a todos os atos realizados pela comissão.

Um dos pontos exaltados na fala do vereador pessebista foi justamente a independência das ações da Câmara.

“Independente da aprovação desse relatório, todos os fatos constatados foram encaminhados às autoridades competentes. Os empresários e servidores foram representados no MPGO, na Controladoria. Foi aberto inquérito civil público e todos estão sendo investigados na delegacia de polícia”, arrematou.

Outro pessebista, Pedro Azulão Jr. lamentou o pedido de vistas do vereador Carlos Soares, pois o tempo da CEI foi suficiente para discutir tudo. “Voto contra esse pedido, pois esses servidores já deveriam estar presos!”, bravejou.

Já o ex-petista e atual tucano Tayrone di Martino defendeu o pedido de vistas, pois ele também quer “discutir” o relatório e “punir todos os que tenham que ser punidos”. “Não temos que passar as coisas as pressas. Quero relatório e vamos discutir bem essa matéria”, argumentou.

Com a aprovação, o vereador Carlos Soares tem até dez dias úteis para devolver o processo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.