Cai inadimplência de empresas goianas, registra GoiásFomento

Em setembro, a taxa de não pagamento foi de 7,5%, enquanto em março ficou em 6,4%. Inadimplência está próxima do nível pré-pandemia

GoiásFomento | Foto: Divulgação

A GoiásFomento registrou em torno 800 clientes inadimplentes em setembro. O que quer dizer que houve taxa de não pagamento de 7,5%, enquanto em março ficou em 6,4%. Ou seja, os níveis de inadimplentes estão próximos ao período pré-pandemia.

Expectativa de economistas era que esse índice pudesse chegar a 30% nas instituições financeiras em razão da crise resultante dos efeitos da Covid-19. No entanto, a instituição tomou medidas para auxiliar na queda do índice de inadimplência.

Entre as medidas estão prorrogações de parcelas, renegociações de contrato, atuação firme da área da cobrança (negativação e ajuizamento de ações).

Além disso, o acompanhamento da carteira tem sido feito de forma sistemática nas parcelas vencidas que tenham desde de um dia de atraso, mantendo contato com os clientes, avalistas, no sentido de achar a solução requerida pelos clientes.

No ano passado, a GoiásFomento liberou R$ 30,321 milhões em financiamentos. Do total liberado, 90% foram destinados a microempresas.
Nesse ano de 2020, as liberações seguem a mesma tendência do ano anterior.

Retomada

De acordo com o presidente da GoiásFomento, Rivael Aguiar, a GoiásFomento tem conseguido manter a inadimplência em patamares “razoáveis”. Ele cita que em março a taxa ficou em 6,4%, em maio subiu um pouco e chegou a 8,3%, registrou 10% em junho e 10,6% em julho.

Mas com as medidas adotadas de renegociação, condições facilitadas para os pagamentos e prorrogação de parcelas, entre outras, a partir de agosto o índice de não pagamento começou a reduzir para 9,7% e, em setembro, chegou a 7,5%.

“Com as medidas adotadas pela agência de fomento, os clientes estão conseguindo manter um nível de adimplência muito significativo junto à instituição financeira”, informa Rivael. Ele complementa que o resultado de setembro, em que a taxa de inadimplência já ficou próxima a apurada na pré-pandemia, “é uma vitória”.

O presidente da GoiásFomento acredita que a retomada do crescimento da economia goiana será mais rápida do que em outras unidades da Federação, com a consequente geração de emprego e renda, após um período de muitas dificuldades para os empreendedores devido à pandemia. Para isso, ressaltou que a instituição financeira dispõe de uma gama de linhas de crédito e o suporte do Fundo de Aval do Sebrae, entre outras facilidades para apoiar o empreendedor no Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.