Bolsonaro sinaliza a apoiadores que está quase certa sua filiação ao Patriota

A legenda já abriga o filho 01 do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, que se filou na segunda-feira, 31, mesmo dia da convenção do partido marcada por briga interna e que foi parar na Justiça

Jair Bolsonaro está cada vez mais próximo do partido Patriota. A legenda, que protagonizou a cena política de segunda-feira (31) com uma convenção nacional marcada por uma briga interna que foi parar na Justiça, já abriga o filho 01 do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, que se filou a legenda no mesmo dia.

Na noite de terça-feira, 1º, Bolsonaro praticamente confirmou seu ingresso ao Patriota em conversa com apoiadores na porta Palácio da Alvorada. A declaração foi dada horas depois de Bolsonaro se reunir com o presidente do Patriota, Adilson Barroso, no Planalto.

“Todo mundo é Patriota agora?”, perguntou um apoiador ao presidente, na portaria do Palácio da Alvorada. “Está quase certo, estamos negociando. É como um casamento: tem de ser programado, planejado, senão dá problema”, respondeu Bolsonaro.

Briga interna
A chegada dos Bolsonaros no partido foi marcada por uma briga interna entre os dirigentes  que ficou evidenciada na convenção realizada na segunda. O presidente nacional é acusado de utilizar a chegada do presidente da República e filho para cometer irregularidades na condução da legenda.

“Não somo contra a vinda do Bolsonaro. Não entramos na Justiça contra a vinda do presidente. Entramos na Justiça para questionar uma séria de irregularidades que ele (o presidente nacional) cometeu”, afirma ao Jornal Opção o secretário geral do Patriota e presidente do partido em Goiás, Jorcelino Braga.

Braga diz que Adilson Barroso destituiu membros do diretório antes do prazo de vigência das funções, que é de quatro anos. “Ele destituiu quatro de nossos membros e colocou quatro nomes ligados a ele via um sistema do Justiça Eleitoral sem passar por uma convenção”, explica Braga.

Além disso, o secretário-geral destaca que o presidente nacional substituiu o secretário de Organização do partido e criou dois cargos – primeiro e segundo vice-presidente de honra –sem passar por convenção partidária.

“Ele fez tudo de forma irregular para ter maioria no voto e aprovou um estatuto por aclamação, porque deixamos a mesa ao observamos que era um golpe. Ele aprovou um estatuto que ninguém tem conhecimento do que está lá dentro”, condena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.