Blindagem de carros cresce em todo o Brasil, mas participação de Goiás no mercado ainda é baixa

O Estado não aparece no Top 5 da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin) e não tem nenhuma empresa filiada à entidade

Contrariando os índices de vendas de carros no país, a blindagem de automóveis segue ascendente na última década. Em 2013, por exemplo, o mercado bateu recorde com a aplicação da proteção a mais 10.156 veículos.

O número é 21,12% maior que o de 2012, quando 8.384 carros foram blindados. Já em 2011, o total foi de 8.106.

Os dados foram obtidos por meio das 31 empresas blidadoras ligadas à Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin) que fez o levantamento. Para o presidente da Abrablin, Laudenir Bracciali, “a sensação de insegurança cada vez maior em todo o país é o fator principal que explica o aumento da procura pelo serviço”. “Com medo diante da violência urbana, muitos cidadãos, inclusive, substituem o investimento em um modelo de carro mais luxuoso por um modelo um pouco mais simples, mas com a segurança da blindagem”, afirma.

Apesar do crescimento expressivo em todo o país, Goiás parece ainda não ter descoberto esse nicho. No ranking divulgado pelo levantamento com os estados que mais blindaram veículos em 2013, São Paulo lidera, com pouco mais de 63%, seguido pelo Rio de Janeiro, com 12,18%. Os outros três estados que compõem o “Top 5” são do Nordeste: Pernambuco (6,37%), Ceará (5,94%) e Bahia (2,84%).

Goiás só aparece na categoria “outros”, junto a Amazonas, Pará, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Espírito Santo, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e Distrito Federal, grupo que soma 9,63% da quantidade. Nenhuma das empresas filiadas à Abrablin tem sede em Goiás.


Quem blinda?

A pesquisa buscou também traçar o perfil daqueles que buscam o serviço de blindagem. Conforme constatado, o sexo masculino continua predominando, com 57% do total de usuários, mas as mulheres aumentaram sua participação. Em 2013, elas representaram 43%. Em 2012, somavam 42,5% do setor e em 2011, 35%.

Por faixa etária, os homens e mulheres da faixa etária de 30 a 39 anos correspondem a 23% cada um. Em 2012, a faixa etária masculina foi a mesma, mas, entre as mulheres, a blindagem se concentrava mais na faixa entre 40 e 49 anos. Executivos, cantores, políticos e juízes constituem quase a totalidade dos que buscam o serviço.

No ranking dos veículos mais blindados no país em 2013, a pesquisa da Abrablin revela que o campeão foi o Tiguan, modelo da Volkswagen. A segunda posição foi ocupada pelo Range Rover Evoque, da Land Rover, no primeiro semestre, e pelo Corolla, da Toyota, no segundo semestre. O Jetta Sedan, também da Volks, aparece como terceiro carro mais blindado no ano.

A blindagem de nível III-A foi a mais praticada no mercado. “Esse nível suporta até tiros de submetralhadoras (pistolas) 9mm e revólveres .44 Magnum. É o mais adequado para garantir efetiva proteção contra as maiores ameaças de armas curtas de fogo encontradas hoje nas mãos da criminalidade”, complementa o presidente da Abrablin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.