Avenida no Setor Crimeia vira pista de rali urbano

Pista tem mais de 100 buracos em menos de um quilômetro. Condutores fazem malabarismo para evitar danos em veículos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quatro mil buracos em Blackburn. A cidade inglesa do Condado de Lancashire teve as falhas de seu asfalto eternizadas na canção “A Day in the Life”, escrita por John Lennon e que integra o disco “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, de 1967, considerado o maior da história.

A Avenida Dr. José Neto Carneiro não está no radar dos Beatles, mas virou pauta para a campanha #GoianiadosBuracos, do Jornal Opção Online. Em seus 885 metros, a via contava, até a tarde desta quarta-feira (3/12) com 102 buracos — e obviamente com viés de alta, se não for tomada alguma providência imediata.

Entre “panelinhas”, “bacadas” e “crateras”, a via serve como alameda do Rio Meio Ponte em seu percurso pelo Setor Crimeia Leste, em Goiânia. A temporada chuvosa mal se iniciou — já que novembro foi bem mais seco do que a média tradicional do mês — e a pista já se tornou um desafio de contorcionismo para os condutores, que têm de se virar para escapar de cair em alguma deformação.

A vizinhança tenta ajudar: um caixote e um pano vermelho pendurado em uma haste foram instalados nos maiores buracos. Eles e os transeuntes aguardam atitude imediata da Prefeitura. Enquanto isso o trecho virou uma improvisada pista de rali urbano (ou slalom?) para carros.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.