O Plenário da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) aprovou, na manhã desta quinta-feira, 26, um pedido de licença de 15 dias para a deputada Vivian Naves (pP), que vai viajar à China em comitiva do governo de Goiás. Além de Vivian, o presidente da Alego deputado Bruno Peixoto (UB) e Charles Bento (MDB) também devem integrar a comitiva.

Vivian destaca o interesse de empresários chineses em investir no Estado de Goiás parte das “belezas e riquezas naturais”, e também da infraestrutura e posição privilegiada que favorece a importação e exportação.

“É uma viagem muito longa que alguns deputados foram convidados, e vamos em busca de investimentos para Goiás”, disse.

De acordo com a parlamentar, apesar do convite para participar da comitiva, cada deputado bancará, com recursos próprios, as despesas com a viagem, hospedagem e gastos durante a estadia.

A comitiva é formada ainda por pequenos, médios e grandes empresários do Estado que buscam parcerias chinesas para a ampliação dos empreendimentos ou desenvolvimento de novos projetos.

Acordo

O governador deve assinar o acordo com as empresas Chint Power, de soluções em energia; YTO Group Corporation, montadora de tratores; e Weichai Group, de motores elétricos, que começarão a atuar em Goiás.

É a segunda comitiva oficial que vai à China em 2023. Em junho, o vice-governador Daniel Vilela buscou estabelecer novas relações comerciais com o país asiático, assim como expandir as exportações goianas com um dos maiores mercados consumidores do mundo.

Exportações

No ano passado, a China importou mais de US$ 89,7 bilhões em produtos brasileiros e exportou quase US$ 60,7 bilhões para o mercado nacional, o que a torna o maior parceiro comercial do Brasil. O produto brasileiro mais vendido foi a soja, com 36% do total exportado, seguido pelo minério de ferro, com 20%, e o petróleo, com 18%.

As relações comerciais entre Goiás e China seguem a tendência nacional. Em 2022, os chineses foram responsáveis por 46,3% de todas as negociações de exportações feitas por Goiás. Segundo levantamento do Centro Empresarial Brasil-China (CEBC), Goiás tem potencial para aumentar em cerca de 50% as exportações para a China nos próximos de 10 anos.

Leia também:

Daniel Vilela torna-se o interlocutor de Goiás com a China

Maior fabricante de tratores da China pode escolher Goiás como base de operações na América Latina