Artistas goianienses realizam pocket-show em prol dos direitos humanos

Memorial Artístico Gameleira “Memórias: amores que partiram” contará com apresentação do bloco Não é Não e o Coró Mulher

Neste domingo, 27, acontece o Memorial Artístico Gameleira – “Memórias: amores que partiram” com a presença do bloco Não é Não e o Coró Mulher e de outros artistas goianienses. O evento será um pocket-show pró-Direitos Humanos em ato inter-religioso em homenagem às vítimas da Covid-19. O evento será realizado ao ar livre debaixo de uma gameleira. O objetivo é sensibilizar a população sobre a importância dos direitos humanos, além de oferecer um momento de acolhimento e respeito às vidas que foram perdidas durante a pandemia do coronavírus.

Segundo a secretária municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, a ex-vereadora, Drª Cristina Lopes, “Goiânia está caminhando para um período de nova normalidade, mas é essencial que a gente não se esqueça daqueles que partiram e, ao mesmo tempo, se una perante o propósito da dignidade e garantia de direitos para todas as pessoas”, afirma.

O ato inter-religioso, em homenagem às vítimas da COVID-19, foi batizado de “Memórias: amores que partiram” e terá as representações religiosas do pastor Dione Braga, catequista Djanira Maria Silva, líderes indígenas Yban Hunikuin e Txana Kupi, Clécia Santana do Ylê Axé Oju.

A parte musical do encontro terá as cantoras Cláudia Vieira, Nila Branco e os músicos, além de Sérgio Pato e Xexéu. Por meio da cultura e da arte, artistas se movimentam para que a garantia dos direitos humanos seja respeitada e entendida como fundamental para a sociedade.

Serviço:

Domingo, 27 de março
Horário: A partir das 9h
Local: Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas, R. 99, 66 – St. Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.