Após tragédia, vereador de Goiânia quer registro de casos de bullying em escolas

A ideia é fazer com que todas as unidade de ensino da capital mantenham um histórico de ocorrências de bullying. Projeto tem como pano de fundo tiroteio no Colégio Goyases

O vereador Welligton Peixoto (PMDB) apresentou durante a sessão desta quarta-feira (25/10) projeto de lei complementar que obriga a Secretaria Municipal de Educação, por meio de decreto regulamentador, a exigir da rede pública, particular e conveniada com o município a manter histórico de ocorrências de bullying em suas dependências. Tais relatórios, prevê o texto, deverão ser encaminhas à SMS para as providências.

Na verdade, a proposta do peemedebista altera artigos e parágrafos da Lei 9.073/2011, que dispõe sobre medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying escolar. O projeto quer incluir na referida lei um parágrafo em que as escolas públicas, particulares e conveniadas com o município sejam obrigadas a promoverem trabalhos educativos sobre bullying, na primeira semana de cada ano letivo, como exige as legislações municipal, estadual e federal.

Wellington Peixoto justifica seu projeto tendo como base a tragédia ocorrida em Goiânia, no último dia 20, quando um adolescente de 14 anos matou dois colegas e feriu outros quatro sob a justificativa de que sofria bullying dos colegas. “É preciso que as autoridades e as famílias estejam alertas para que tais fatos não se repitam mais”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.