Após prisão, Adriana Accorsi diz “lamentar ocorrido” e se distancia de assessor

Ex-delegada postou nota de esclarecimento no Facebook, garantindo que não “compactua” com “atos ilícitos”

Deputada Delegada Adriana Accorsi , do PT | Foto: Marcos Kennedy/Assembleia Legislativa

Deputada Delegada Adriana Accorsi , do PT | Foto: Marcos Kennedy/Assembleia Legislativa

A deputada estadual Adriana Accorsi (PT) usou o Facebook para comentar a prisão de seu assessor, Marcus Vinícius de Faria Felipe — detido em Goiânia na noite do último sábado (29/8), por porte ilegal de arma e disparo em via pública.

Em uma nota de esclarecimento, a petista, que sequer menciona a função do profissional em seu gabinete na Assembleia Legislativa, diz “lamentar profundamente” o ocorrido e que “não compactua com quaisquer atos ilícitos”.

De acordo com informações da Polícia Militar, Marcus Vinícius foi preso dirigindo, inclusive, um carro de uso exclusivo da Alego. “A deputada ressalta que não autorizou o uso do carro do seu mandato na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás para fins que não fossem estritamente profissionais”, escreveu ela.

Essa não é a primeira vez que Marcus Vinícius de Faria Felipe — ex-presidente da Agência Goiana de Comunicação (Agecom) — se envolve em polêmicas como assessor da deputada Adriana Accorsi.

No final de abril deste ano, o diretor do site Goiás 24 Horas, Cristiano Silva, foi ameaçado dentro do salão nobre da Alego por um assessor da petista, chamado Silvio Eduardo Cavalcante. De acordo com o blogueiro, o servidor da deputada teria agido a mando de Marcus Vinicius.

NOTA DE ESCLARECIMENTODiante da prisão de Marcus Vinícius de Faria Felipe, neste sábado (29/8), por porte ilegal de…

Posted by Adriana Accorsi on Sábado, 29 de agosto de 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.