Após críticas à exposição QueerMuseu, Santander envia carta de retratação à Assembleia

Em ofício endereçado a Francisco Júnior (PSD), banco pede desculpas “a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra”

Depois que a exposição QueerMuseu virou assunto também na Assembleia Legislativa de Goiás, em polêmica iniciada pelo deputado estadual Francisco Jr. (PSD), o Santander enviou um comunicado à Casa explicando sua posição. Em ofício endereçado ao próprio Francisco, o banco pede desculpas “a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra”.

Assinado pela superintendente executiva de Relações Institucionais do banco, Renata Zaccarelli, o documento diz ainda que o Santander ouviu manifestações e entendeu que algumas das obras “desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo”.

“Garantimos, no entanto, que seguimos comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e outros grandes temas contemporâneos”, garante a nota. Na tribuna, Francisco disse que, para ele, as obras da exposição não eram arte, mas aceitou a retratação.

“Eu entendo que toda minoria organizada tem direito a voz, mas a maioria de nós não tem. O povo goiano não concorda com situações absurdas. Nossos valores precisam ser defendidos e divulgados. O brasileiro é família, é cidadão de bem e quer que as coisas aconteçam da forma certa”, defendeu ele.

Confira a nota do Santander na íntegra:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.