Após alta nos combustíveis, Temer admite aumentar Imposto de Renda

Presidente afirmou que, mesmo que ainda não haja nada definido, há estudos para avaliar a possibilidade de fazer alterações na taxa, incluindo o aumento da alíquota

Equipe econômica avalia a possibilidade de aumentar alíquota em até 35% | Foto: Alan Santos/PR

Depois da polêmica alta nos combustíveis, o presidente Michel Temer (PMDB) admitiu a possibilidade de que o Governo Federal aumente também o Imposto de Renda (IR). Segundo ele, há vários estudos sendo feitos sobre a possibilidade, embora não haja nada definido por enquanto.

Entre as possibilidades que estariam sendo avaliadas pela equipe econômica de Temer está a criação de uma nova alíquota, de até 35%, para as pessoas físicas; de começar a cobrar o imposto sobre lucros e dividendos; a de revisar desonerações; e de estabelecer regimes especiais de benefícios.

Para passarem a valer, no entanto, estas medidas teriam que ser aprovadas pelo Congresso e, como se aproxima mais um ano de eleição, enfrentariam bastante dificuldade para passar. Mesmo assim, a equipe de Temer quer aumentar a arrecadação para cobrir o déficit nas contas que, até junho, era de R$ 56 bilhões.

As declarações de Temer foram feitas na abertura de um congresso em São Paulo. Lá, ele também disse que está “reformulando o Brasil” e que “cortou da própria carne” – mesmo que, antes da votação de denúncia contra ele na Câmara dos Deputados, na semana passada, ele tenha liberado mais de R$ 4 bilhões em emendas para os parlamentares que podiam impedir o prosseguimento das investigações.

Deixe um comentário