Aplicativos de idiomas oferecem cursos de línguas ameaçadas de extinção

Duolingo e uTalk já oferecem curso de galês, havaiano e guarani; no Brasil também há o desenvolvimento de aplicativos próprios para tentar salvar línguas originárias

Algumas línguas faladas pelos povos originários do Brasil estão correndo o risco de extinção. É o caso do nheengatu que segundo o  Atlas de Línguas em Perigo da Unesco, está “severamente ameaçada”. O galês, havaiano e guarani também correm o mesmo perigo. Por conta disso, aplicativos de idiomas, como o DuoLingo, uTalk e outros, estão desenvolvendo cursos dessas línguas para tentar salvá-las.

Após se mudar para Alter do Chão, no Pará e iniciar o curso de antropologia na Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), a desenvolvedora de web, Suellen Tobler, começou a se interessar pela língua indígena nheengatu. Durante o processo de colonização, entre o final do século 17 e o início do século 20, esse idioma se originou através dos diálogos entre povos originários falantes de tupi e os jesuítas. Contudo, hoje ele está ameçado tendo somente 6.000 falantes.

Pesando nisso, ela se inscreveu na Lei Aldir Blanc para conseguir recursos para criar o primeiro aplicativo de ensino de uma língua indígena brasileira. Contemplada pela lei, o aplicativo já está disponível e conta com 65 exercícios.

No mundo, Tobler não é a única que pensa em desenvolver plataformas para salvar a língua dos povos indígenas. O canadense linguista e mestre em processamento e fala e linguagem, Aidan Pine, desenvolveu o aplicativo Mother Tongues (Línguas Nativas) para ajudar a salvar o idioma dos nativos de seu país.

Indignado com o genocídio da cultura indígena, Pine afirmou que “quando uma língua morre, perdemos um ecossistema de ideias e as possibilidades de relacionar os humanos com a sua comunidade. A língua é essa cola. Os indígenas salvam as línguas. Talvez a tecnologia possa ajudar “.

Ensinar um idioma que sofre risco de extinção por meio de aplicativos é uma coisa que os gigantes desse meio, Duolingo e uTalk já fazem e que inspirou Tobler e Pine a desenvolverem seus próprios. Desde 2016, o Duolingo oferece o ensino de irlandês, Navajo (falado na América do Norte), Havaiano e o guarani, disponível para falantes de espanhol. O uTalk também oferece uma gama de idiomas poucos falados como uma forma de tentar salvá-los e mantê-los vivos na cultura do mundo.

*Com informações do Folha de S. Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.