Apesar do emplacamento de 120 mil veículos em 2018, padrão Mercosul entra em vigor em 2020

Transição obrigatória não só para automóveis novos, como para aqueles que passaram por mudança de município, trocaram de categoria e mais

Foto: Agência Brasil

A fim de trazer segurança e dificultar fraudes, como clonagens, os veículos goianos passam a ser emplacados conforme padrão Mercosul, a partir de janeiro de 2020. O anúncio foi feito pelo Conselho Nacional de Trânsito, que revelou, também, que, atualmente, dois milhões de veículos já estão com essa adequação no País.

Isto, porque essa regra já vigora em sete estados brasileiros. São eles: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Atualmente, o modelo adotado em Goiás, em vigência desde 2014, já possui rastreabilidade e auditagem, por conta de um software de rastreamento, que acompanha da matéria-prima a lacração. Inclusive, no ano passado 120 mil novos veículos foram emplacados por uma das 101 empresas estampadoras credenciadas junto ao Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO).

A transição obrigatória deve acontecer para veículos novos; veículos que passaram por mudança de município; veículos que trocaram de categoria; e aqueles cuja placa atual não foi aprovada em vistoria e/ou está ilegível ou danificada.

Avanço

A Associação dos Fabricantes, Estampadores e Lacradores de Placas Automotivas do Estado de Goiás (Assiplago) vê como avanço do atual modelo a alteração para o padrão Mercosul. “Temos um sistema de emplacamento que gera segurança e confiabilidade, com maior possibilidade de fiscalização”, afirma o advogado da Assiplago, Leandro Silva.

Já o oficial de operações do Comando de Operações e Divisas do Estado de Goiás, Capitão Castanheira, Goiás é tido como referência, desde 2014, no enfrentamento a fraudes veiculares. “Em outras unidades federativas, as placas nem sempre são confiáveis devido a fraudes no processo. Em Goiás há mais segurança porque o processo auditado”, diz sobre o já vigente sistema.

Sobre a placa do Mercosul, esta, segundo informado, terá a implantação de um chip fiscal federal, efeitos visuais, código bidimensional (QR code) e número de série criptografado.

Além disso, terá um QR code na placa com informações sobre o veículo e o emplacador. O objetivo é facilitar o acesso de dados por policiais por meio de um leitor portátil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.