Ao renunciar, Sérgio Rassi fala em “inadequação e dor” enquanto presidente do Goiás

Presidente deixou o cargo nesta sexta-feira (25/8). Após renúncia, técnico Argel Fucks foi demitido do clube

Sérgio Rassi | Foto: Divulgação/Goiás Esporte Clube

Em pronunciamento realizado nesta sexta-feira (25/8), Sérgio Rassi anunciou oficialmente sua renúncia ao cargo de presidente do Goiás Esporte Clube.

No início da coletiva, onde não foi permitida pergunta de jornalistas, Rassi revelou que comentou com Hailê Pinheiro, presidente do conselho deliberativo esmeraldino, sobre a “inadequação, inconveniência e dor” que estava sentindo ao ser presidente do clube.

Em seu discurso, porém, o ex-presidente disse que é “muito doloroso” deixar o Goiás. “Clube que amo”, garantiu.

Durante o pronunciamento, Rassi disse que sua equipe tentou “acertar de todas as formas no departamento de futebol”. “Mas não acertamos”, lamentou, explicando que o time é o que mais contratou atletas da série A para competirem na série B.

“Sinceramente não sei o que acontece com Goiás no futebol”, desabafou. “Isso é um mistério, talvez uma incompetência minha”, acrescentou, lamentando que não tenha dado certo sua permanência com sucesso no clube.

Após o anúncio de renúncia de Sérgio Rassi, o Goiás anunciou formalmente a demissão do técnico Argel Fucks.

Trajetórias

Sérgio Rassi assumiu o Goiás em 2014 para evitar o rebaixamento para a Série B. Neste ano, ele conseguiu, mas, logo em 2015, o time foi rebaixado.

Contratado em 19 de julho, Argel ficou à frente do Goiás por apenas sete partidas: duas vitórias, dois empates e três derrotas.

Em 2016 o time não chegou perto da zona de classificação para a Série A. Este ano, o Goiás é o 15º colocado, com 25 pontos, ficando apenas a dois pontos da zona de rebaixamento.

Deixe um comentário