Anápolis negocia para ampliar em 10,5% o salário dos professores

Propostas da Prefeitura atingem o teto permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), ou seja, 54% de cumprimento da receita com gasto de pessoal

Prefeito Roberto Naves | Foto: Fernando Leite

Anápolis pretende investir 10,5% parcelado em 10 vezes de 1%, juros sob juros – nos salários dos professores da rede municipal de ensino em 2020. Ou 7% à vista, ambas contando a partir de março. Em assembleia marcada para a próxima quinta-feira, 27, a categoria vai deliberar sobre as possibilidades apresentadas pelo chefe do executivo.

As propostas da Prefeitura atingem o teto permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), ou seja, 54% de cumprimento da receita com gasto de pessoal.

Diversos cenários foram apresentados para representantes do Sindicato dos Professores da Rede Municipal de Ensino de Anápolis (Sinpma) e a Associação dos Diretores da Rede Municipal de Ensina, na última quarta-feira, 19.

simulação com investimento na casa de 12,84%, índice do piso salarial da categoria, revela uma situação de insolvência.

“A receita corrente líquida ficaria em 105%, pagaríamos num mês e já não teríamos recursos para pagar o segundo. Faço um apelo aos profissionais que entendam a situação em que está o País”, explicou o prefeito Roberto Naves.

Levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que 69 prefeituras decretaram calamidade nas contas públicas em 2019 e 229 devem seguir o mesmo caminho este ano.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.