Alvo de 1.426 processos, ex-gestor goiano vai mais uma vez aos tribunais

Desta vez, o caso analisado será um processo de 2011 ligado a Santa Casa de Misericórdia de Goiânia

O caso do ex-secretário de Saúde de Goiânia, Elias Rassi, que acumula 1.426 processos judiciais e extrajudiciais, retorna ao Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO). Desta vez, os juízes vão analisar um processo relacionado a um convênio de 2011 com a Santa Casa de Misericórdia de Goiânia. A sessão está marcada para a próxima segunda-feira, 21.

O contrato em questão, foi avaliado, em 2015, pela Controladoria Geral do Município e passou por sindicância solicitada pelo MPGO. Contudo, nenhuma irregularidade foi encontrada.

Rassi assumiu a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, em janeiro de 2011 e saiu em dezembro de 2012. Ele adentrou na secretaria como parte do mandato do então prefeito Paulo Garcia (PT).

Desde o início de sua gestão, Rassi se tornou alvo de inquéritos, devassas, processos e multas. O advogado do ex-secretário, Elias Menta, alega que todas as acusações foram feitas sem nenhuma prova e responsabilizando Rassi por toda e qualquer ação da secretaria, mesmo ele não sendo o único responsável.

De todos os processos, o ex-secretário venceu 3 julgamentos na Justiça Federal, 11 na Justiça Comum e 25 sindicâncias no Conselho Regional de Medicina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.