Alta temperatura aumenta preços de frutas e hortaliças nos Ceasas de todo o País

Em Goiás, um exemplo claro desta alta é o tomate que teve reajuste de 9,95% no quilo

Ceasa | Foto: Divulgação

As altas temperaturas registradas em setembro trouxeram impactos na comercialização das principais frutas e hortaliças no país. O forte calor acelerou a maturação de alguns produtos, o que motivou tanto o comportamento de alta como de queda nos valores comercializados no atacado, como revela o 10º Boletim Prohort divulgado, nesta quarta-feira (21), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 

Entre os produtos que sofreram a influência do calor está o tomate, apresentando alta nas cotações em praticamente todas as Centrais de Abastecimentos analisadas pela Conab, sendo a maior variação em Brasília, de 32,5%. Em Goiânia, a hortaliça ficou 9,95% mais cara. A maturação precoce concentrou a oferta do tomate nos primeiros dias de setembro, quando o preço baixou, mas a oferta diminuiu no restante do mês, o que trouxe um efeito de elevação de preços na média final.

As altas temperaturas também intensificaram a entrada de melancia no mercado. Com a elevação da oferta principalmente da região de Uruana, em Goiás, os preços no atacado ficaram mais baixos, estimulando a demanda. O volume da melancia negociado em nove centrais de abastecimento analisadas no boletim chegou a ser 60% superior ao registrado em agosto deste ano. Outro produto influenciado pelo clima é o mamão, que ficou mais barato no mercado atacadista devido ao amadurecimento acelerado. 

O clima quente e seco nas principais zonas produtoras de batata impulsionou os produtores a acelerar o ritmo da colheita para que a qualidade dos tubérculos não fosse comprometida. Com a maior disponibilidade do produto, os preços caíram em todas as centrais analisadas. Em Goiânia, o preço da batata caiu 15,63%. A cebola se manteve praticamente estável, com variação de 0,82% para mais; e a cenoura com variação de 2,96%. 

As condições climáticas também influenciaram na maior demanda pelas frutas que apresentaram alta de preços nas Ceasas pesquisadas. Em Goiânia, o preço da maçã aumentou 12,28%; o do mamão caiu 12,92%; o da laranja se manteve estável; e o da banana diminuiu 3,17%. 

Sobre a pesquisa

O boletim tem, entre suas principais ferramentas, os sistemas de informações, que trazem dados da comercialização de produtos hortigranjeiros nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país. Essa plataforma possibilita o acompanhamento de preços, análises de mercado, consulta de séries históricas, identificação das regiões produtoras, entre outros estudos técnicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.