Advogado critica desperdício da OAB-GO em gastos com publicidade

Anúncio de uma página inteira em jornal goiano causou desconforto na classe

A Ordem dos Advogados do Brasil – seção Goiás (OAB-GO) voltou a ser alvo de críticas por seus gastos exorbitantes com publicidade, mesmo em meio a reiteradas reclamações quanto a dívidas deixadas pelas últimas gestões.

Dessa vez, a crítica recai sobre anúncio veiculado na edição impressa do jornal “O Popular”. A peça publicitária em questão trata do estacionamento gratuito para advogados no Fórum Criminal de Goiânia e ocupa uma página inteira do jornal diário, apesar de trazer apenas duas pequenas frases em um espaço reduzido.

Mesmo sendo justamente esta a intenção da campanha publicitária (confira ao lado), integrantes da advocacia goiana criticaram a verba destinada a propagandas pela gestão do presidente Lúcio Flávio.

Ex-secretário-geral da OAB-GO, o advogado Júlio Meirelles afirmou que “não falta espaço para o desperdício” na seccional. “O anúncio apresentado em uma página inteira do periódico, que provavelmente não deve ter custado menos do que 20 mil reais, caberia em um oitavo de página. Desperdício! É dinheiro dos advogados que poderia estar sendo empregado em benefício direto da categoria”, asseverou.

Meirelles também questionou a forma como a gestão tem preterido outras ferramentas de comunicação com a classe, como o e-mail, “significativamente mais eficaz e de baixíssimo custo”.

“A OAB-GO e a CASAG vêm espalhando no Estado dezenas de outdoors com propaganda. Enquanto isso, a advocacia sofre com o irregular funcionamento do PROJUDI e com o desrespeito às suas prerrogativas. A quem interessa tais anúncios? Aos advogados? É claro que não! A resposta salta aos olhos: interessa apenas ao projeto político classista do presidente da OAB-GO”, completou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.