O homem acusado de tentar matar um empresário ao empurrá-lo de uma piscina com “boda infinita”, em Caldas Novas, foi pronunciado pela Justiça e, portanto, será levado ao Tribunal do Júri pelo crime de tentativa de homicídio qualificado. De acordo com a sentença da juíza Vaneska da Silva Baruki, Sergio Reis de Oliveira Júnior agiu por motivo torpe e impediu a defesa de Luiz Henrique Romano.

Em nota, o advogado Murilo Falone considerou “uma vitória significativa” a decisão judicial: “A defesa da vítima assegura que não descansará até que o réu seja condenado de forma definitiva.”

Por outro lado, ao Jornal Opção, o advogado Gilles Gomes, que representa o réu, criticou a sentença da juíza de direito.

“A defesa entende que a decisão não observou as provas dos autos, sobretudo o prontuário médico que apontou que Luiz Henrique estava embriagado. A defesa irá recorrer ao TJGO para buscar a reforma da decisão”, informou.

(Momento da briga na residência | Foto: Reprodução/Redes sociais)

Relembre o caso

Luiz Henrique Cavalcanti Romano foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após ser agredido e arremessado de uma piscina com “borda infinita” durante uma festa na madrugada do dia 24 de dezembro de 2020. Imagens de segurança registraram o momento da queda. Em 7 de janeiro do ano seguinte, ele recebeu alta.

A briga começou dentro da residência e virou uma confusão generalizada. O vídeo mostra o empresário caindo na piscina e sendo agredido por outras pessoas. Ele é segurado por um dos homens e recebe socos de outro rapaz enquanto tenta subir na borda da piscina.

Ao tentar subir na borda, Luiz Henrique é empurrado e cai de uma altura de seis metros. O boletim médico, ao registrar a entrada no hospital, descreve que o paciente sofreu”politraumas graves e com múltiplas fraturas”.

À época, o boletim de ocorrência foi registrado como lesão corporal dolosa, indicando a intenção de causar danos. Em seu depoimento, Sergio Reis de Oliveira Junior, que era convidado da festa, alegou que tentava separar a briga e acabou empurrando Luiz Henrique da borda da piscina.

O Tribunal do Júri será constituído na comarca de Caldas Novas, local dos fatos. A pena atribuída ao crime em questão pode chegar a até 30 anos de prisão.

Leia também: