Soja representa 79% do que o Estado exporta

Tocantins teve aumento de 42% na balança comercial, conforme Fieto

No ano de 2017, do total de US$ 951 milhões exportados pe­los produtores tocantinenses, US$ 756 milhões foram gerados de derivados da soja, o que significa 79,4% entre os principais produtos exportados. Os dados foram apre­sentados pela Federação das Indústrias do Estado (Fieto), na sexta-feira, 9.

No resultado da balança co­mer­cial referente ao ano de 2017, de acordo com pesquisa, a soja per­maneceu como o produto mais exportado. Já o produto mais importado foi o gasóleo (óleo de diesel), representando 40% do total de importações e te­ve crescimento de 464% comparado ao ano de 2016.

As exportações em 2017 au­men­taram 50% em relação ao ano anterior, totalizando US$ 951,3 milhões. As importações tiveram cres­cimento ainda maior, de 85%, sal­tando para US$ 216,2 milhões.

O saldo final da balança comercial (exportação menos importação) apresenta um au­mento de 42% em relação a 2016, ao alcançar o valor de US$ 735,1 milhões.

Os maiores parceiros comerciais do Tocantins são China, Es­panha e EUA. Nas exportações, a Chi­na aparece em primeiro lugar (58,18%), com produtos como sementes e frutos oleaginosos, grãos, sementes e frutos diversos, plantas industriais ou medicinais, palhas e forragens, peles e couros.

Os Estados Unidos são o principal vendedor para o Tocantins, que comprou principalmente com­bustíveis e óleos minerais e pro­dutos da sua destilação, matérias betuminosas, ceras minerais, preparações alimentícias diversas e produtos farmacêuticos, representando 41,55% do total do Estado.

A gerente da Unidade de De­sen­volvimento da Fieto, Amanda Bar­bosa, analisou os números da ba­lança comercial e os impactos na economia do Estado. “Apesar do Tocantins apontar um crescimento de 50% nas exportações, 99% dos produtos exportados são in natura. O grande desafio é in­dustrializá-los, agregar valor e, consequentemente, gerar riqueza para nosso Estado”, observou.

Entre os municípios, Porto Na­cional foi o principal exportador e importador. Porto vendeu prin­cipalmente soja e milho, que au­mentaram 395,39% e 631,04%, res­pectivamente, deixando o mu­ni­cípio responsável por 18% do total de exportações. O desempenho positivo da importação de óleos de petróleo (466,06%) também impulsionou Porto Nacional a ter 62% de participação no total de importações. Palmas ficou em segundo lugar na balança participando de 16% do total de exportações e 35% do total de importações.

Na avaliação do crescimento das exportações em 2017, Santa Ro­sa do Tocantins despontou co­mo o que mais cresceu no período. Alavancado pela produção de so­ja, o município apresentou au­mento de 2.000% no total exportado em relação ao ano de 2016.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
peter teodor popov

destruindo o ecossistema cerrado para produzir lixo.