PF deflagra operação no Tocantins para investigar suspeita de crime eleitoral

Ação diz respeito às eleições suplementares, que terão seu segundo turno no próximo dia 24

A partir de um processo que tramita em segredo perante a Justiça eleitoral – referente a utilização indevida de emendas parlamentares na eleição suplementar em curso – vários agentes da Polícia Federal estão realizando, neste momento, diligências na sede do governo estadual, secretarias, Redesat, Assembleia Legislativa e, também, em três outros municípios.

Segundo fontes da PF, foram mais de 160 emendas parlamentares liberadas por Mauro Carlesse (PHS), desde o início da gestão tampão, destinadas a redutos eleitorais do governador interino em troca de apoio político.

A última operação da PF em Palmas havia ocorrido no dia 28 de maio, quando foram cumpridos mandados judiciais na Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) e na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden), após ordem – sigilosa – emitida pela Corte Eleitoral. Até o final deste quinta-feira (14/6), serão divulgadas novas informações.

Em nota, a coligação Governo de Atitude, de Carlesse, alegou que a operação possui cunho político e acusou o adversário na disputa, Vicentinho Alves, de tentar ganhar mandato no “tapetão”. Confira abaixo comunicado na íntegra:

Toda eleição é a mesma coisa. Candidato, ao saber que vai perder as eleições, apela para denúncias à Polícia, faz publicar “escândalos” em jornais e revistas de circulação nacional. O tocantinense já está acostumado com todo esse teatro e dará a resposta nas urnas.

Acostumado a ganhar mandato no “tapetão”, Vicentinho Alves tenta mais uma vez bagunçar o processo eleitoral com denúncias e ações na Justiça que prejudicam não a Mauro Carlesse, mas ao Estado do Tocantins e seus municípios.

A liminar obtida por Vicentinho na Justiça impede o Governo do Estado de repassar recursos a mais de 70 municípios, sendo que a maioria está montando suas estruturas para temporada de praia e estão com suas programações prejudicadas pela proibição obtida por Vicentinho na Justiça, de pagamento desses convênios.

Em virtude desta liminar, a expectativa dos municípios em aumentar suas receitas, o número de turistas, gerar empregos e renda para a população destas cidades está comprometida, pois o candidato Vicentinho Alves pensou somente em seu projeto de poder e não em o quanto está prejudicando a todos os tocantinenses. Importante destacar que esses convênios são celebrados todos os anos neste período, e em 2018, são as eleições que estão ocorrendo fora do calendário normal.

Mauro Carlesse lamenta que essas velhas práticas ainda sejam utilizadas para tentar ganhar uma eleição.

O governador Mauro Carlesse segue tranquilo pois desde que assumiu o Governo do Estado vem trabalhando fazendo os ajustes necessários para que a administração cumpra seus compromissos e coloque gestão para funcionar com eficiência, visando o bem-estar da população tocantinense, que tanto já sofreu com a crise dos últimos anos.

Carlesse apoia toda e qualquer investigação e determinou que seus auxiliares prestem todas as informações solicitadas.

Coligação Governo de Atitude

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.