O MP pede regularização de medicamentos no maior hospital do Tocantins

Segundo autoridades, faltam até seringa no Hospital Geral de Palmas

O Ministério Público e a Defensoria solicitaram esta semana que a Secretaria de Saúde do Tocantins regularize o mais rápido possível a situação de falta de medicamentos oncológicos e insumos. Somente no HGP, faltam 14 remédios e até seringas. O Estado deverá informar a quantidade exata de cada medicamento em estoque, repor imediatamente o que estiver faltando e ainda informar quais medidas foram tomadas para aquisição das medicações.


O Juiz Gil de Araújo Corrêa, intimou o Secretário de Saúde Afonso Piva, e pediu comprovação da regularização completa até o prazo desta segunda 13 de dezembro. “A interrupção do tratamento oncológico é situação grave que pode colocar em risco a vida e a integridade física dos usuários”, justificou o Juiz sobre o pedido de cassação.
A Secretaria de Saúde foi procurada e informou que não recebeu notificação e que medicamentos similares estão no estoque e podem substituir os faltantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.