Kátia e Márlon estão com candidatura sob risco

O julgamento dos recursos de ambos candidatos estão previstos para ocorrer na sessão do TSE de terça-feira (29/5)

Kátia Abreu: “O meu registro foi aprovado por unanimidade pelo TRE“ | Foto: Reprodução

A Procuradoria-Geral Eleitoral, que atua junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), emitiu parecer desfavorável à candidatura de Kátia Abreu (PDT) ao governo do Estado do Tocantins nas eleições suplementares de 3 de junho, sob o argumento que não há provas que a candidata tenha comprovado tempo de filiação partidária igual ou superior a seis meses.

Aos argumentos, por meio de nota à imprensa, a senadora rebateu: “O registro da minha candidatura ao governo foi aprovado por unanimidade pelo Tribunal Regional do Tocantins. Este é um fato. Por essa razão, recebi com surpresa, mas com serenidade, o parecer do Ministério Público Eleitoral que opinou contra o registro da candidatura. Reitero a convicção de que a candidatura, já aprovada, será mantida pelo TSE, a exemplo do que aconteceu no Tribunal Regional do Tocantins e seguirei normalmente a agenda da campanha. Estou cada vez mais segura e confiante”.

Márlon Reis: “Quero acelerar a análise do TSE, que me será favorável“ | Foto: Reprodução

Já a candidatura de Marlon Reis (Rede) recebeu parecer desfavorável da PGE, tendo em vista que o ex-juiz de direito transferiu seu título eleitoral para o Tocantins apenas em agosto de 2017 e dessa forma infringiu a regra da anualidade. O candidato se posicionou argumentando que, “diferentemente de outros candidatos que estão tentando de todas as maneiras adiar o julgamento da análise de suas candidaturas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha de Márlon Reis está empenhando todos os seus esforços para que o Tribunal acelere a análise sobre seu registro de candidatura. Queremos acelerar a análise do TSE, pois acreditamos totalmente que a corte será plenamente favorável a nossa candidatura”. A nota finaliza nos seguintes termos: “Não será essa ação rasteira da velha política que acabará com a esperança do imenso número de tocantinenses que apoia nossa candidatura e que quer fazer a verdadeira transformação no nosso Estado do Tocantins”.

O julgamento dos recursos de ambos candidatos, bem como o que indefere os pleitos de Carlos Amastha (PSB) e Mário Lúcio Avelar (Psol) estão previstos para ocorrer na sessão do TSE de terça-feira, 29, a partir das 19 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.