Justiça determina busca e apreensão em residências do prefeito de Palmas

Operação não encontrou Carlos Amastha, que está em viagem pelo continente europeu

PF faz busca na casa de Amastha, no Taquari | Foto: reprodução

PF faz busca na casa de Amastha, no Taquari | Foto: reprodução

Dock Jr.

Na manhã desta quinta-feira (10/11), a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e a apreensão nos dois endereços do prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB). Suas casas, no Jardim Taquari e na 204 Sul, foram alvos da operação, autorizada pelo juiz federal Klaus Kuschel, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), de Brasília.

O processo corre, por enquanto, sob segredo de justiça. A PF foi também ao gabinete do prefeito e também à residência do secretário de Finanças, Cláudio Schuller.

O suposto crime investigado está ligado a processos licitatórios, informou uma fonte. O mandado determina busca e apreensão “de todos documentos, mídias e dispositivos que tenham informações pertinentes à investigação”.

Através de uma rede social, o chefe do poder executivo municipal se manifestou informando que, no momento, encontra-se na Europa, especificamente na Espanha e disse que resta a ele é colaborar com as investigações.

Num segundo post, Amastha afirmou que, pelo que ficou sabendo, “não faz sentido nenhum” a investigação. “Parece denúncia montada dos proprietários das grandes áreas. Esperemos detalhes”, escreveu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.