Esquema de fraudes no Tocantins abasteceu campanhas eleitorais de aliados de ex-governadores

Segundo a PF, filho de Siqueira Campos e o próprio Sandoval Cardoso foram beneficiados no conluio para perpetuar grupo no poder

Sandoval Cardoso e Siqueira Campos durante entrega em 2014 | Foto: governo do Tocantins

Sandoval Cardoso e Siqueira Campos durante entrega em 2014 | Foto: governo do Tocantins

Dock Jr.

Em cumprimento a mandados expedidos pela Justiça Federal, de prisões temporárias, conduções coercitivas e busca e apreensão de coisas e documentos, a Polícia Federal amanheceu batendo à porta de endereços nobres da capital palmense, entre os quais dos ex-governadores José Wilson Siqueira Campos (sem partido) e Sandoval Lobo Cardoso (SD).

O primeiro foi conduzido coercitivamente para prestar esclarecimentos na sede da PF em Palmas. Já o segundo deveria ser preso temporariamente, contudo, estaria fora da capital tocantinense no momento da operação. Segundo o superintendente da PF-TO, Arcelino Damasceno, a ordem judicial será cumprida assim que o ex-governador chegar à cidade.

Outras personalidades conhecidas – que fazem parte da alta sociedade tocantinense – também faziam parte da lista daqueles que deveriam ser encarcerados temporariamente após prestarem depoimentos. O braço direito, coordenador político da campanha eleitoral de Sandoval Cardoso e ex-presidente da Agetrans, Alvicto Ozores Nogueira, o Kaká Nogueira; Murilo Coury Cardoso, subsecretário estadual da Infraestrutura e vice-presidente da Agetrans; além dos empreiteiros Humberto Siqueira Nogueira, Marcus Vinícius Lima Ribeiro, Rossine Aires Guimarães e Wilmar Oliveira de Bastos da Construtora EHL.

Também chamou a atenção os mandados de condução coercitiva em desfavor de Eduardo Gomes (SD), ex-deputado federal e candidato a senador na mesma chapa de Sandoval Cardoso; e Joaquim Parente Junior, ex-secretário de planejamento do governo tampão.

Em entrevista coletiva, a Polícia Federal informou que ao todo foram cumpridos 113 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal sendo 19 mandados de prisão temporária, 48 de condução coercitiva e 46 de busca e apreensão no Tocantins, Maranhão, Goiás, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília e Mato Grosso.

As investigações apontam para um esquema de direcionamento de concorrências envolvendo órgãos públicos de infraestrutura e agentes públicos do Estado, nos anos de 2013 e 2014. As obras eram custeadas por recursos públicos adquiridos pelo Estado, por meio de empréstimos bancários internacionais e com recursos do BNDES, tendo o Banco do Brasil como agente intermediário dos financiamentos no valor total de cerca de R$ 1,2 bilhão.

Os recursos adquiridos tiveram a União como garantidora da dívida. O prejuízo estimado pela Polícia Federal, aos cofres públicos gire em torno de 25% dos valores das obras contratadas, o que representa aproximadamente R$ 200 milhões. Há indícios de que servidores públicos do governo faziam parte do esquema.

Siqueira Campos e Sandoval Cardoso foram governadores entre 2011 e 2014. Conforme decisão liminar expedida pela Justiça Federal, eles atuaram diretamente no contrato de financiamento firmado com o Banco do Brasil.

Parte do dinheiro teria sido usada em campanhas eleitorais. O MPF alegou, inclusive, que a renúncia de Siqueira Campos fazia parte de um plano arquitetado para manter o mesmo grupo político no poder e eleger seu filho, José Eduardo Siqueira Campos, como deputado estadual.

O órgão argumentou ainda que o deputado estadual “seria beneficiário das doações eleitorais das empresas investigadas, assim como Sandoval Cardoso e Eduardo Gomes, que concorreram, no mesmo pleito, aos cargos de governador e de senador, respectivamente”.

Veja a lista dos presos na operação:

1. Sandoval Lobo Cardoso, ex-governador
2. Círio Caetano da Silva
3. Ramilson Ferreira de Oliveira
4. Renilda Martins Rezende
5. Alvicto Ozores Nogueira, Kaká Nogueira, ex-presidente da Agetrans
6. Pedro Olímpio Pereira Furtado Neto
7. Donizeth de Oliveira Veloso
8. Luciano Nogueira Bertazzi Sobrinho
9. Valdemiro Teixeira Aguiar
10. Bruno Marques Rocha
11. Estemir de Souza Pereira
12. Murilo Coury Cardoso
13. Francisco Antélius Servulo Vaz
14. Rossine Aires Guimarães
15. Jairo Arantes, engenheiro
16. Luciene da Silva Oliveira
17. Marcus Vinícius Lima Ribeiro, Marquinhos da Volcar, empresário da construção
18. Wilmar Oliveira de Bastos, empresário da construção
19. Humberto Siqueira Nogueira, empresário da construção
20. Renato Hollunder
21. Geraldo Magela Batista de Araújo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.