Ataídes erra ao tentar achar culpados por não ter sido reeleito ao Senado

Candidato creditou derrota à falta de apoio de prefeitos aliados

Senador Ataídes Oliveira: 5º colocado | Foto: Divulgação

Ataídes Oliveira (PSDB) creditou sua derrota nas eleições ao Senado à falta de apoio dos próprios prefeitos aliados. Após ser o quinto colocado no último pleito, quando obteve pouco mais de 170 mil votos (13,3%), Oliveira desabafou, por meio de um vídeo, enfatizando que esperava que a base eleitoral criada lhe permitiria, ao menos, a reeleição. “Consegui manter a amizade, o respeito a cada um de vocês, contanto que, com esta grande base, eu me manteria no Congresso Nacional, ajudando nosso País, nosso Estado, especialmente, cada um de vocês. Mas eu tenho a dizer: vocês também não me deixaram permanecer no Senado Federal”, disse o senador tucano, que complementou: “Eu falei para vocês que o segundo voto me tiraria do páreo, e vocês, não sei e tem exceção, me tiraram do Senado Federal, quando vocês apoiaram este segundo voto. Não sei se foi por pressão do Palácio Araguaia ou por outro meio, mas isto é fato”.

Os prefeitos tucanos reagiram de forma imediata. Um dos prefeitos ofendidos, o gestor da cidade de Peixe, Zé Augusto, disse ao jornalista Cleber Toledo que a derrota se deve a equívocos do correligionário. “O senador Ataídes resolveu montar a estratégia do primeiro voto a ele e o segundo voto ao Senado Federal nulo ou branco, o que foi imediatamente rechaçado por minha pessoa e pelos outros prefeitos do PSDB, sobretudo por não concordarmos eticamente com tal postura”, explicou o prefeito.

Acusado, não restou alternativa ao prefeito, senão expor suas razões: “O senador Ataídes cometeu alguns equívocos de estratégia política ao longo do ano e, se tivesse ouvido a maioria dos prefeitos do PSDB quando de seu posicionamento na suplementar, com certeza seria um dos vitoriosos ao Senado”, afirmou. Zé Augusto elencou alguns dos erros do senador tucano: “Insistir numa candidatura inviável ao governo, deixar o partido sem qualquer composição na majoritária da suplementar, vez que haviam convites, bem como deixar de respeitar a posição da maioria dos membros do diretório, os quais queriam a composição com Mauro Carlesse”.

O senador Ataídes até chegou a refutar as assertivas do prefeito, reiterando que um “homem democrático” como ele jamais pediria isto. “O que pedi foi muito cuidado com o segundo voto. Apoiar Eduardo Gomes seria um risco para nossa candidatura, mas em momento algum pedi para votar nulo”, garantiu o presidente estadual do PSDB. Contudo, o certo é que o tucano quis encontrar um culpado para sua derrota nas urnas, mas, o máximo que conseguiu foi se expor ainda mais, uma vez que, para se defender, o prefeito de Peixe revelou a suposta existência de uma sórdida estratégia antidemocrática para minar os concorrentes.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.