Acordo entre Dilma e Obama fortalece sustentabilidade da agricultura brasileira, afirma ministra Kátia Abreu

Presidente Barack Obama e ministra Kátia Abreu: “Fomento ao comércio internacional de biocombustível será fortalecido” | Foto: Divulgação

Presidente Barack Obama e ministra Kátia Abreu: “Fomento ao comércio internacional de biocombustível será fortalecido” | Foto: Divulgação

O acordo sobre clima firmado entre a presidente Dilma Rousseff e o presidente norte-americano Barack Obama, na semana passada, em Washington, deverá beneficiar a agropecuária brasileira. A avaliação é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu (PMDB), para quem a inclusão do etanol e da bioenergia nas discussões representa “um forte sinalizador para o setor de que o fomento ao comércio internacional de biocombustíveis será fortalecido”.

“Reconhecendo a necessidade de acelerar o emprego de energia renovável para ajudar a mover nossas economias, Brasil e Estados Unidos pretendem atingir, individualmente, 20% de participação de fontes renováveis – além da geração hidráulica – em suas respectivas matrizes elétricas até 2030”, declarou Dilma Rousseff, no encontro com Obama.

A ministra da Agricultura, que participou dos atos com os presidentes de Brasil e Estados Unidos, destacou a meta definida na declaração conjunta de dobrar o uso de biocombustíveis e energia renovável e o comércio com os EUA em dez anos, além da adoção de medidas ambiciosas de reduções de gases de efeito estufa no período 2020/2030, no âmbito da agenda da COP 21.

“Vejo a inclusão do etanol e da bioeletricidade nas discussões como uma política clara do governo brasileiro de fortalecimento do setor e do fomento de comércio internacional de biocombustíveis.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.