A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) já entregou aos Laboratórios Estaduais de Saúde Pública (Lacens) de todos os estados os kits para os diagnósticos da varíola dos macacos, ou Monkeypox. Desta forma, a investigação e monitoramento da doença acontecerá de forma mais rápida. Antes da ampliação, os exames já eram realizados em 15 laboratórios designados pelo Governo Federal.

Os kits foram entregues aos 27 Lacens dos estados, além de Laboratório da UFRJ, Fiocruz/RJ, Fiocruz/AM e Instituto Evandro Chagas. A diretora do Lacen-DF, Grasiela Araújo, explica que “Inicialmente não havia reagentes para o diagnóstico da monkeypox em quantidade suficiente para uma descentralização imediata pelo Ministério da Saúde. Como em vários estados a doença foi chegando em um quantitativo pequeno, não havia justificativa, naquele momento, para que todos os Lacens dos estados realizassem os diagnósticos. Mas, neste momento, há uma fabricação de kits para o diagnóstico da doença no Brasil e isso foi determinante para que houvesse uma descentralização.”

Desde setembro, a varíola dos macacos está na Lista Nacional de Notificação Compulsória de Doenças. A doença viral é transmitida pelo contato com a secreção de pústulas na pele de uma pessoa infectada. Para garantir o resultado do exame, a amostra deve ser coletada a partir do material das lesões.