Um em cada três pacientes em Cais de Aparecida é de Goiânia

Pacientes da capital representam 32% dos atendimentos unidade de saúde do município vizinho, segundo levantamento obtido pelo Jornal Opção

Júlio Francisco: deslocamento do Setor Pedro Ludovico até o CAIS Nova era para tratar de uma gripe| Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Já passava das 16 horas da quinta-feira, 8, quando o cozinheiro Júlio Francisco chegou ao Cais Nova Era, em Aparecida de Goiânia. Foi buscar ajuda para cura de uma gripe. “Estou com dor de garganta e tosse”, contou. O cozinheiro gastou R$ 8 com Uber para se deslocar quase 6 quilômetros do Setor Pedro Ludovico, em Goiânia, até a unidade de saúde de Aparecida.

Próximo à casa dele, no Setor Pedro Ludovico, existe um Centro Integrado de Atenção Médico Sanitária (Ciams) da prefeitura de Goiânia. Mesmo assim, entendeu ser melhor procurar atendimento em outro posto de saúde. “É complicado demais aquele Cais [do Setor Pedro Ludovico]”, justifica, ao explicar a dificuldade em ser atendido no local.

O cozinheiro conta que em março último tomou a mesma decisão. Preferiu se deslocar com a família até o Cais Nova Era para levar o filho de três anos, que estava com diarreia. Mesmo tendo que ir e voltar duas vezes no mesmo dia à unidade de saúde de Aparecida – “Precisamos trocar o medicamento, que não estava funcionando” -, afirmou ter aprovado o atendimento, por ter conseguido resolver o problema do filho. “O atendimento não é muito bom, mas resolve”, frisa.

Júlio Francisco integra uma estatística curiosa: a dos pacientes que têm deixado a capital e buscado atendimento em outros municípios da região Metropolitana. Em uma medição realizada em março pela Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida, 32% dos atendimentos realizados pelo Cais Nova Era eram de pacientes oriundos de Goiânia. Na UPA Flamboyant (Parque Flamboyant, em Aparecida de Goiânia), são 28% de atendimentos para moradores de Goiânia, considerando também o mês de março como referência.

Importante frisar que, tanto o Jardim Nova Era, quanto o Parque Flamboyant estão localizados próximos da divisa com a capital. Todavia, a UPA Buriti Sereno, localizada no setor do mesmo nome, em Aparecida, registrou também, em março, 19% de atendimentos oriundos de Goiânia.

Pactuação insuficiente

Lugar comum nas reclamações dos secretários de Saúde é o incremento de atendimentos realizados pelas unidades de saúde jurisdicionadas às suas pastas a pacientes de outros municípios. Apesar de as prefeituras receberem por todos os atendimentos realizados por meio da pactuação entre as três esferas de governo (federal, estadual e municipal), não é suficiente para planejar um atendimento adequado a curto e médio prazos, baseado nas demandas – muitas vezes estáveis – de cada município. Isso porque não é possível prever nuances decorrentes de problemas na saúde de cidades vizinhas.

A assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida explica que uma UPA, por exemplo, deveria funcionar com cinco médicos no período diurno e quatro durante a noite. Como a demanda de municípios vizinhos aumentou, Aparecida teve de aumentar o número de médicos para oito em cada um dos períodos.

Ou seja, a UPA, que atendia com nove médicos, passou a atender com 16 profissionais. O custo das novas contratações, explica, não é dividido pelos municípios que enviam pacientes. De acordo com a assessoria, os exames médicos realizados pelas consultas também são custeados exclusivamente pelo município.

Do Novo Mundo ao Nova Era

Uma atendente do Cais Nova Era falou à reportagem que parte dos pacientes que chega à unidade vem de bairros goianienses como Novo Horizonte, Parque Anhanguera, Parque Amazônia, Jardim América e até do Finsocial, na região Noroeste da capital.

Fábio Soares: 15 quilômetros para conseguir bom atendimento| Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Fábio Soares é pintor predial e mora no Jardim Novo Mundo. Caminha com dificuldade por conta de um problema muscular em uma das pernas. Com dificuldade para subir em andaimes e ficar em pé durante muito tempo, procurou o CAIS Nova Era nesta quinta-feira, 8. É a terceira vez que é atendido na unidade de saúde de Aparecida de Goiânia.

Distância entre o Jardim Novo Mundo (Goiânia) e o Jardim Nova Era (Aparecida) é de aproximadamente 14 quilômetros | Foto: reprodução/Google Mapas

O problema é que Fábio tem de se deslocar mais de 14 quilômetros do Jardim Novo Mundo, em Goiânia, até o posto de saúde para ter acesso ao atendimento. Ele conta que a irmã dele mora no Bairro Ilda, em Aparecida. E, sempre que precisa de atendimento médico, dorme na noite anterior na residência dela para facilitar a chegada ao Cais Nova Era.

O pintor explica que prefere utilizar a unidade de Aparecida, em detrimento do Cais Novo Mundo. “Já vim aqui outras vezes. Há dois anos, vim porque estava com dengue”, conta. De acordo com paciente, apesar de ter de esperar um tempo razoável pelo atendimento – na última oportunidade, foram três horas até ser recebido pelo médico – considerou satisfatório o atendimento. “Foi bom”, avaliou.

Maria da Cruz saiu do Jardim América para levar o filho para atendimento no Jardim Nova Era, em Aparecida| Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Outra cidadã da capital que buscou atendimento em Aparecida é a diarista Maria da Cruz. Moradora do Jardim América, busca com frequência atendimento no Cais Nova Era. Nesta quinta-feira, 8, foi levar o filho para investigar a origem de uma tosse, febre e vômito que acometem o garoto, que tem cinco anos. “Sempre venho aqui. É o [Cais] mais perto”, explica.

O trajeto que separa os bairros é de aproximadamente seis quilômetros, percorridos de ônibus. Apesar da espera que, segundo Maria da Cruz chegou a três horas em uma oportunidade, ela aprova o atendimento na unidade. “Atendem bem”, elogiou ao relatar a última vez em precisou levar o filho na unidade de Aparecida.

Trindade e Senador Canedo também recebem

A problemática dos pacientes de Goiânia também atinge as vizinhas Trindade e Senador Canedo. De acordo com a assessoria de Comunicação de Trindade, as unidades de saúde do município realizaram 62.052 atendimentos de janeiro a julho deste ano. Destes, aponta, 16.900 foram de Goiânia, o equivalente a 27,23%

Já Senador Canedo, que já foi considerado “fornecedor” de Goiânia, começa a realizar atendimentos de cidadãos da capital. De acordo com a assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde do município, as unidades canedenses contabilizaram em julho 48.149 procedimentos, dos quais 2.579 são de Goiânia, ou seja 5,35%.

Resposta da Prefeitura de Goiânia

A reportagem entrou em contato na quinta-feira, 8, com a Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia para comentar o assunto. Por telefone, informaram que Goiânia também recebe uma quantidade considerável de pacientes de outros municípios. A reportagem solicitou relatório dos atendimentos para fazer o contraponto, mas até a conclusão desta reportagem, não havia obtido resposta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.