Com Goiás na Frente, Marconi dá novo passo em direção a um projeto nacional

Governador rompe barreiras da pior crise econômica que o Brasil já experimentou e apresenta grande plano de crescimento para Goiás

Governador Marconi Perillo discursa durante lançamento do Goiás na Frente | Foto: Mantovani Fernandes

O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), iniciou seu discurso na última quinta-feira (30/3) dizendo que nem mesmo em Pernambuco, seu estado de origem e terra de grandes nomes da história política brasileira, tem conhecimento de um político que tenha sido eleito cinco vezes consecutivas para cargos majoritários, como conquistou o governador de Goiás, e seu amigo, Marconi Perillo (PSDB).

Durante o lançamento do programa Goiás na Frente, o pernambucano destacou que não há no Brasil, tampouco, outro governador que tenha apresentado, em tempos de pós-crise, um programa de investimentos tão amplo, volumoso em recursos e impecável em especificações de investimentos.

“Quero dizer da satisfação de ver um estado como Goiás partir na frente e inaugurar no Brasil um movimento entre os estados que começam a mostrar sua capacidade de investimentos. Nada disso vem de graça. Tem que ter feito o dever de casa e ter tido atitudes corajosas de fazer os ajustes necessários. No momento certo, se colhe o que se plantou bem. Esses R$ 9 bilhões são recursos que vão gerar empregos, aumentar a renda das pessoas e vão entregar infraestrutura e mais qualidade de vida para toda a população de Goiás”, destacou.

Segundo o governo, o Goiás na Frente é o maior programa de investimentos da história do Estado de Goiás: serão R$ 9 bilhões de investimentos destinados a diversas áreas da administração estadual. Como pontuou o ministro e todas as autoridades que discursaram na solenidade, o programa é resultado do planejamento administrativo e das medidas de austeridade fiscal adotadas por Marconi a partir do final de 2014.

O programa reúne receitas resultantes do ajuste fiscal, da privatização da Celg Distribuição, de receitas do Orçamento Geral do Estado, convênios com a União e de aportes da iniciativa privada. Do total de R$ 9 bilhões, R$ 6 bilhões são oriundos de recursos públicos que serão investidos em diferentes áreas, com destaque para rodovias, saúde, educação, segurança, habitação e inovação tecnológica. Os outros R$ 3 bilhões são provenientes de investimentos em parcerias com a iniciativa privada. Entre as empresas que já anunciaram parcerias, estão a Brookfield; o Grupo Novo Mundo, o Grupo Codora Energia, além da Enel Brasil.

O principal ponto destacado durante a apresentação é que o projeto não nasceu do dia para a noite. É resultado das medidas consideradas “impopulares” do ajuste fiscal, bem como do enxugamento da máquina pública e corte de gastos nos últimos anos.
Marconi tem como objetivo romper as barreiras da pior crise econômica que o Brasil já vivenciou e apresentar ao país um robusto plano, que garantirá a retomada do crescimento de Goiás, a partir dos investimentos no desenvolvimento dos 246 municípios goianos.

Em 2014, o goiano foi o primeiro governador a promover o ajuste fiscal no Estado, reduzir o número de secretárias e extinguir cargos comissionados; foi o primeiro a defender a unificação do sistema de Segurança Pública e Penitenciário nacional; e foi o primeiro a completar uma rede de hospitais gerenciados em conjunto com Organizações Sociais (OSs), iniciativa que revolucionou os serviços de saúde pública.

Ainda em seu primeiro mandato como governador, entre 1999 e 2002, Marconi foi o primeiro gestor a criar uma ampla rede de programas sociais, encabeça sobretudo pelo Programa Cheque Mais Moradia que, em 2016, resultou no lançamento nacional do projeto Cheque Reforma, criado pelo governo federal com base na ideia goiana. “O Cartão Reforma foi batizado e construído pela experiência do governo Marconi Perillo e do Estado de Goiás. E nada mais justo do que nesse semestre abrir o sistema para os municípios”, lembrou Bruno Araújo no evento.

Além disso, Marconi foi um dos idealizadores do Consórcio Brasil Central, por meio do qual pautou as discussões nacionais, na defesa de uma gestão pública moderna e inovadora. Nos últimos anos, tem sido convidado para proferir palestras a centenas de empresários em diversos estados brasileiros. Como presidente do consórcio, o governador de Goiás se reuniu e debateu medidas para diversas áreas, em especial a segurança pública, junto ao presidente Michel Temer (PMDB) e os ministros do STF Cármen Lúcia e Alexandre de Moraes.

Atualmente, o governador de Goiás é tido, nos bastidores, como possível vice na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo, pois, além de político de sucesso nas urnas, é jovem e moderno. O Goiás na Frente deve fortalecer a tese.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.