Além de desunir o MDB, Caiado não une o DEM

Sem conseguir fechar o apoio nem dos 8 prefeitos do Democratas para sua pré-candidatura ao governo, senador investe de forma desesperada na aliança com a maior sigla oposicionista e conta com dissidentes para isso

Senador Ronaldo Caiado com os dez prefeitos eleitos pelo Democratas em 2016, logo após a eleição: com a saída de Paulo Sergio de Rezende, de Hidrolândia, e de Wisner Araújo de Almeida, de Corumbaíba, ficaram oito

O Democratas (DEM) do senador Ronaldo Caiado tem domínio de apenas 8 das 246 prefeituras goianas — perdeu 2 dos 10 prefeitos que elegeu em 2016, contra 17 na eleição de 2012, o que dá mostra da decadência da sigla nos últimos anos, consequência da mão de ferro com que o líder ruralista dirige a sigla, sempre a serviço dos interesses pessoais dele. Saíram do partido desde então os prefeitos de Hidrolândia, Paulo Sergio de Rezende, e de Corumbaíba, Wisner Araújo de Almeida, ambos foram para o PSDB. Em tese, para Caiado, seria facílimo unir os oito prefeitos em torno de sua candidatura ao governo, até pela evidente facilidade em estar e conversar com eles, encaminhar emendas aos respectivos municípios e outras formas de atenção. Mas não é o que ocorre na realidade.

Dos oito prefeitos demistas, o editor ouviu cinco e apenas dois se declaram inequivocamente apoiadores de Ronaldo Caiado na corrida ao Palácio das Esmeraldas. À pergunta simples e direta — O sr. está apoiando a pré-candidatura do senador Ronaldo Caiado ao governo estadual? —, as respostas foram reticentes, numa mostra de falta de firmeza e muito cuidado, denotando vacilo e mesmo dúvida se o senador será de fato candidato ao governo.

O prefeito de Pirenópolis, João Batista Cabral, o João do Léo, por intemédio de sua assessoria informou que não falaria sobre política neste momento. O prefeito de Faina, Tiago Lobo Favoretto, o Tiago Pedra Grande, na sexta-feira, 23, não atendeu o telefone celular e na prefeitura disseram que ele só tinha ido ao local de trabalho na parte da manhã e não retornaria à tarde. O prefeito de Ouro Verde, Jaime Ricardo Ferreira, não atendeu o celular e o telefone da prefeitura também não teve atendimento.

As respostas dos outros prefeitos demistas:

Odair Sivirino Leonel (Bom Jardim de Goiás)
Não temos nenhuma definição. Só vamos nos decidir na hora certa, mesmo porque está em andamento o programa Goiás na Frente e há muita coisa ainda para acontecer. A gente tem de ajudar quem nos ajuda. Por isso estamos aguardando esse período (de pré-campanha) para ver o que vai ser realizado dentro dos convênios que temos (do Goiás na Frente). E não tenho posição de me sentir obrigado a apoiar o governo, só não me posiciono em relação a campanha política. Só quero fazer política na hora certa, lá pelo mês de junho. Estou recebendo aqui o governador Marconi Perillo, o vice-governador José Eliton. Ronaldo Caiado não esteve na nossa cidade. Política tem a hora certa, e eu e meu grupo não vamos fazer política antes da hora, vamos aguardar até pelo menos o mês de maio.

Marconni Pimenta da Silva (Britânia)
Não temos nada fechado em termos de apoio para a eleição, estou aguardando, observando esse cenário. Até por que não tem nada definido ainda, vamos ver quem vai ser candidato, há muitas conversas, mas nada definido. Vou esperar.

Agenor Nick Barbosa (Minaçu)
Estamos fechadíssimos como senador Ronaldo Caiado para a sucessão estadual, o nome do nosso partido. Eu sou Caiado e nada vai me fazer mudar de opção. Mas nosso apoio para deputados estadual e federal não é do DEM, nós escolhemos pessoas e não partidos.

Marcos Ferreira Cabral (Santa Terezinha de Goiás)
Se o senador Ronaldo Caiado for candidato a governador, nós o apoiaremos. Ele será o nosso candidato. Aqui não temos dúvida, e o governador Marconi Perillo e o vice-governador Zé Eliton sabem disso. Nunca tive problemas de convivência com eles por que sempre falei a verdade, nunca enganei, sempre fui autêntico e eles conhecem a minha posição. Não sou crítico ao governo, mas o meu apoio político e ao senador Ronaldo Caiado.

Ailton José Barretinho (Nova Crixás)
Ninguém resolveu nada ainda sobre esse negócio de eleição para governo. Então, estamos aguardando para saber o que vai virar essa eleição. Aqui é tranquilo, estamos olhando e no momento certo vamos definir. O senador Caiado falou que se o MDB não apoiasse ele, ele não seria candidato, então estamos aqui tranquilos. O governador (Marconi Perillo) nos ajuda, e numa cidade como a nossa, que tem muita dificuldade, temos de ficar ligados a quem cuida de nós. O fato é que não definimos nada ainda, estamos tranquilos.

Iris frustra o senador e declara apoio a Daniel

Ro­naldo Caiado quer o apoio do MDB e para isso conta com o entusiasmo dos prefeitos dissidentes Adib Elias (Catalão), Ernesto Roller (Formosa), Paulo do Vale (Rio Verde) e Renato de Castro (Goia­nésia), além de umas poucas lideranças sem expressão. E é bom registrar que desses prefeitos, apenas Adib tem histórico orgânico com o partido.

Mas a pretensão do senador do DEM ficou bem mais difícil, pe­lo menos em termos de primeiro turno. Na sexta-feira, em entrevista a uma rádio, o líder maior do MDB, prefeito Iris Rezende, afirmou ser leal ao partido e disse que estará com o emedebista Daniel Vilela na disputa eleitoral deste ano.

Iris admitiu que não conseguiu consenso no MDB, mas que, entre os dois nomes disponíveis na oposição, irá seguir com a legenda: “Caia­do tem o seu partido e decidiu ser candidato. Daniel tem o seu partido e decidiu ser candidato. Eu sou de qual partido? Eu sou filiado ao MDB, então não se discute”, declarou.

Sobre o quadro de dissidência, o prefeito colocou panos quentes e disse que a situação é comum no meio político e que, por isso, vê com naturalidade.

Com isso, o sonho de ter o apoio do MDB vai ficando mais distante para Caiado, que precisa do partido para ter chance de sucesso no pleito de outubro. Um dado, para comparação: nos 28 municípios goianos com mais de 30 mil eleitores, que concentram 64,6% (2,88 milhões) do eleitorado do Estado (total de 4,46 milhões), o DEM não tem nenhuma prefeitura. Já o MDB comanda nove municipalidades: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Rio Verde, Formosa, Catalão, Goianésia, Mineiros, Santo Antônio do Descoberto e Quirinópolis, que somam 1,65 milhão de eleitores.

O PSDB e partidos aliados têm as outras 19 prefeituras — Anápolis, Luziânia, Águas Lindas, Trindade, Valparaíso, Itumbiara, Senador Canedo, Jataí, Caldas Novas, Novo Gama, Planaltina, Inhumas, Cris­talina, Cidade Ocidental, Jaraguá, Goianira, Mor­rinhos, Porangatu e Niquelândia —, que totalizam 1,23 milhão de eleitores.

Prefeito do DEM diz que sua cidade “será grata” a Marconi

A população de Nova Crixás, na microrregião de São Miguel do Araguaia, viveu uma “manhã histórica” na quarta-feira, 21, conforme exultou o prefeito Ailton Barretinho, do DEM. As palavras de Barretinho foram em agradecimento ao governador Marconi Perillo (PSDB), por benefícios como construção do hospital, recapeamento de ruas e doação de ambulâncias. O prefeito agradeceu os recursos destinados às obras do hospital municipal e pelos recursos do Goiás na Frente utilizados no recapeamento de ruas e avenidas. Do convênio com o Goiás na Frente, a Prefeitura de Nova Crixás recebeu R$ 1 milhão.

Prefeito Barretinho, de Nova Crixás, ao lado do governador Marconi Perillo: “Temos prazer de estar ao seu lado”

Com satisfação estampada no rosto, o prefeito em seu jeito simples, lembrou que o governador tem dado atenção ao município, e disse que a população de Nova Crixás “tem compromisso com Marconi, é solidária, jamais será ingrata com o senhor”. Para ele, Marconi “está realizando o sonho de muita gente. Obrigado por nos tratar de forma inigualável”.
Ailton afirmou que considera Marconi um dos maiores políticos que este País já viu. “Não conheço na história outro governador que tenha vindo aqui mais vezes que o senhor. Sua história é insuperável”, salientou.

“Temos prazer em administrar ao seu lado, contando com o seu apoio e os seus conselhos. Tenho certeza que nesses poucos dias que ainda restam de seu governo, o senhor ainda fará muito mais por Goiás”, disse o prefeito do DEM do senador Ronaldo Caiado.

“Quem quiser apoiar nome de outro partido que saia do MDB”

Deputado Wagner Siqueira: “Não vi nada de novo do que existia há quatro anos”

Com uma divisão que mais parece uma guerra, o MDB expôs suas feridas em praça pública. O deputado estadual Wagner Siqueira classificou como “pequeno” o ato organizado no dia 20 por cinco prefeitos do partido em apoio à candidatura de Ronaldo Caiado (DEM). Ao Jornal Opção, o parlamentar afirmou que aqueles que tomaram tal atitude já não estavam encantados com o projeto do partido.

“Não perdemos nada. Não se perde o que não se tem”, disse Wagner Siqueira, de forma ácida. Segundo ele, a porcentagem dos que apoiam o candidato do DEM representa menos que 10% do MDB, e ressaltou que a história não tem sido muito favorável a quem não segue as estruturas partidárias que os elegeram.

Deputado Paulo Cezar Martins: “O MDB tem história, tem que ser respeitado”

Outro deputado emedebista, Paulo Cezar Martins, também é crítico ao posicionamento dos cinco prefeitos que querem entregar o partido ao líder democrata. Wagner e Paulo Cezar defendem que prefeitos e vereadores dissidentes agem para criar conflitos dentro do partido e, por isso, podem se desfiliar. “O MDB é muito grande. Se eles se sentem mais confortáveis em outra bandeira, que tomem o caminho que acharem necessários. A pluralidade de opções também é benéfica para o eleitor”, disse Paulo Cezar.

De acordo com o parlamentar, Caiado tem fama de desagregador, de desunião e, por isso, não consegue manter um grupo ao seu lado por muito tempo, portanto, a atitude dos dissidentes é apenas um sinal de “arrogância” com relação às decisões do próprio partido.

“Nós estamos buscando condições para que Daniel Vilela mostre ao MDB que tem sensatez política, condições de fazer alianças e de viabilizar um projeto de Governo para chamar a atenção da população. Estamos trabalhando para estabelecê-lo como candidato. Se ele não der conta, aí sim nós vamos discutir outra opção”, afirmou.

Para o deputado, prefeitos e vereadores dissidentes agem para criar conflitos dentro do partido e, por isso, sugeriu que esses se desfiliem. “O MDB tem que ser respeitado. Aqueles que não aceitam o Estatuto do partido, faça sua desfiliação e vá apoiar quem quiser”, cravou Paulo Cezar.

No mesmo tom, Wagner Siqueira disse que não viu novidade no ato organizado pelos rebeldes. “Percebi que muitas pessoas disseram que grande parte do MDB deixaria suas fileiras para apoiarem um terceiro candidato. Ora, não vi nada de novo do que existia há quatro anos. Não se perde o que não se tem”, alfinetou.

Deputado José Nelto: articulador pró-Caiado perde liderança na Assembleia

Autor do movimento emedebista favorável a Caiado, o deputado estadual José Nelto (MDB) assumiu ataques a ala vilelista e chegou a se referir ao deputado federal Daniel Vilela como “candidato laranja” do governo de Goiás. Sobre a acusação, Wagner foi categórico: “Tenho certeza absoluta que a chance de aliança do MDB com o PSDB é zero”.

Para ele, o apoio a Daniel segue com a maioria. “Mais de 90% do partido segue unido, acreditando em um jovem que está preparado, é moderno e atento às necessidades de quem precisa”, disse. Os apoiadores de Caiado, por outro lado, foram tratados com desdém pelo deputado.

Por conta de sua articulação contra os interesses do próprio partido, a posição de líder da bancada do MDB na Assembleia ficou insustentável para José Nelto. Na quinta-feira, 22, ele se licenciou do cargo e em seu lugar assumiu justamente Wagner Siqueira.

Vereadores

Vereador Andrey Azeredo: “MDB tem um excelente pré-candidato, que é Daniel Vilela”

Na Câmara de Vereadores de Goiânia também houve manifestações. O presidente da Casa, Andrey Azeredo, afirmou que o MDB tem pré-candidato e que a minoria insatisfeita não vai se impor à escolha da maioria. “O MDB tem um excelente pré-candidato colocado, que é Daniel Vilela, e que será homologado na convenção do partido no momento adequado e será, com a vontade do povo e as bênçãos de Deus, o nosso futuro governador. Não pensem aqueles que estão insatisfeitos que vão minar a pré-candidatura de Daniel Vilela, porque não conseguirão.”

O vereador Clécio Alves foi à tribuna para defender o pré-candidato do MDB e criticou duramente o movimento dissidente, sugerindo que, se querem apoiar candidatura de outro partido, que deixem o MDB. “Daniel Vilela não é adversário. Nosso adversário está no Palácio das Esmeraldas e o momento político é de mudar o Estado.”

O ex-governador Maguito Vilela também pregou a saída dos descontentes com a decisão da maioria do MDB. “Cada um tem o direito de apoiar a candidatura que quiser, então aqueles que querem apoiar outras candidaturas que não a do MDB, que saiam, se filiem ao partido que acreditam ter o melhor projeto. A maioria do MDB está com o nome do partido e quem promove um evento agora para defender nome de fora é desagregador.”

Maguito lembrou ainda que o partido é o único que está há 20 anos na oposição ao governo Marconi Perillo.

Prefeituras da oposição

MDB (42)

Cidade Prefeito
Aloândia Sinomar José do Carmo
Amorinópolis Silvio Isac de Souza
Anhanguera Francisco da Silva
Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha
Araçu Joelton Bernardo da Costa
Araguapaz Marcia B. de Souza Rezende
Arenópolis Flávio Júnior Vilela
Aurilância Rubens Batista de Queiroz
Buriti Alegre André de Sousa Chaves
Buriti de Goiás Edmar Borges de Lima
Caçu Ana Cláudia Lemos Oliveira
Campos Verdes Haroldo Naves Soares
Catalão Adib Elias Junior
Damolândia Américo Osorio Santos
Doverlância Zilda de Rezende Araújo
Fazenda Nova Afrânio Ferreira Filho
Formosa Ernesto Roller
Goianésia Renato de Castro
Goiânia Iris Rezende
Gouvelândia Euripedes Moreira da Silva
Hidrolina Osvaldo Moreira Vaz
Itarumã Ricardo Francisco Goulart
Jandaia Milena Pereira L. Moura
Mineiros Agenor Rezende
Montes Claros Antônio Cicero Alves
Novo Brasil Sebastião Maria Sabino
Novo Planalto Davi José de Sousa
Ouvidor Onofre Galdino Jr.
Pilar Sávio de Sousa S. Batista
Piracanjuba João Barbosa de Oliveira
Pontalina Milton Ricardo de Paiva
Portelância Manoel R. de Resende
Quirinópolis Gilmar Alves da Silva
Rio Verde Paulo Faria do Vale
Santa Tereza Edson Palmeiras dos Santos
Santo Antônio da Barra Sirleide Ramos Ferreira
Santo Ant. Descoberto Adolpho Roberto Souza
São Luís do Norte Jacob Ferreira
Taquaral Helio Gontijo de Oliveira
Turvânia Fausto Mariano Gonçalves
Turvelândia Reila Aparecida Naves
Uruana Cassio Gusmão de Oliveira

DEM (8)

Bom Jardim Odair Sivirino Leonel
Britânia Marconni Pimenta da Silva
Faina Tiago Lobo Favoretto Souza
Minaçu Agenor Nick Barbosa
Nova Crixás Ailton José Barros
Ouro Verde Jaime Ricardo Ferreira
Pirenópolis João Batista Cabral
Santa Terezinha Marcos Ferreira Cabral

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Lennon Machado rives

Povo vagabundos esses do MDB, tem que manter o apoio a Ronaldo Caiado dem, ele não foi traidor, esse Daniel Vilela vai levar uma surra, igual o Iris levou nas últimas candidaturas a governo.