Duas pessoas foram presas suspeitas de matar e ocultar o corpo da jovem trans Alícia Marques, de 18 anos, em Aparecida de Goiânia. Alícia (nome de registro: Edmar Gustavo Marques Pereira) foi vista pela última vez na noite de 12 de fevereiro de 2022. Ela estava em uma distribuidora de bebidas em Aparecida, nas proximidades do bairro onde morava com a mãe, a irmã e os sobrinhos.

De acordo com a PC, ela teria sido morta no mesmo dia em que desapareceu por conta de uma dívida de drogas. Os suspeitos foram presos na última segunda-feira, 28, e negaram o crime. A ossada da jovem foi encontrada no dia 24 de dezembro de 2022. A corporação informou que as investigações vão continuar para e que o inquérito deve ser concluído na próxima semana. 

Arquivamento

A PC havia solicitado o arquivamento da investigação do desaparecimento de Alícia em janeiro deste ano. Na época, a polícia informou que não havia conseguido nenhuma nova informação sobre o crime envolvendo a jovem, que era tratada até então como desaparecida. 

Inicialmente, o caso foi investigado pela delegada Luiza Veneranda, na época, titular do 1 º Distrito Policial (DP). O delegado Jonatas Barbosa, do 4º DP, assumiu o caso e solicitou o arquivamento ao Ministério Público de Goiás (MPGO). Porém, o pedido não foi acatado pelo órgão.