Nesta sexta-feira, 30, a Polícia Civil prendeu um homem denunciado pelo estupro de uma menina de 1 ano e 8 meses, em Goiânia. O acusado é marido da babá da criança, que também ficará detida durante as investigações. A família havia confiado a garota aos cuidados da babá, que levou a vítima para sua casa, onde ocorreu a violência sexual. 

A história

Kandice é mãe de Laís, de um ano e oito meses de idade. Na quinta-feira, 29, por volta de meio-dia, Kandice saiu de casa deixando a criança com a babá Elaine, pois sua sogra havia entrado em coma. Os pais da vítima deixaram a criança com a babá que já cuidava da criança há mais de um ano, e com a filha mais velha, de dezoito anos.  

A mãe pediu à babá que ficasse com a criança até ela voltar, trabalhando em regime de horas extras. Por volta das 23 horas, a mãe ligou para a filha mais velha e perguntou se Laís estava bem. A adolescente de 18 anos respondeu que a babá tinha levado a criança para sua casa já tarde da noite. Por mensagens, Elaine disse à mãe da criança que tudo estava bem. 

Kandice afirmou que não foi buscar Laís porque estava tarde e chovia muito. Afirmou também não saber que a relação de Elaine com seu companheiro, Wilker, era conturbada. Wilker já fora autuado por violência doméstica e bebe com frequência. Quando o dia amanheceu, receberam a notícia do falecimento da mãe de Eduardo e o casal foi para a casa da família. Apesar de ter estranhado a situação, Kandice declarou à polícia que não pôde buscar Laís na casa de Elaine devido ao óbito da sogra. 

Quando Kandice buscou sua filha, após o almoço, logo percebeu que a testa da criança estava machucada. A babá justificou que a ferida era uma picada de mosquito. Laís chorava muito. Ao tentar trocar as fraldas da criança, a mãe percebeu que Laís estava machucada. Levou a criança à emergência pediátrica, onde foi orientada a fazer exames no Instituto Médico Legal. 

Por meio do exame de Corpo de Delito, médicos constataram que a criança tinha sido vítima de um crime sexual. Policiais civis da delegacia especializada foram direcionados e fizeram a prisão de Wilker e Elaine em flagrante. As informações foram retiradas das declarações dadas pela mãe da vítima no auto de prisão em flagrante delito realizado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Goiânia.

A cada seis horas uma criança é estuprada em Goiás

Goiás contabilizou entre janeiro e agosto (242 dias) de 2022, uma criança ou adolescente de 0 a 14 anos vítima de estupro a cada seis horas. Ao todo, foram quatro crimes desta natureza por dia, totalizando 101 vítimas mensais. O número representa 76,4% de todos os crimes sexuais cometidos contra a categoria em 2021.

O estupro, que prevê pena de até 15 anos de prisão, foi o mais registrado contra a faixa etária de idade, com 1.025 ocorrências. Em seguida, aparecem outros crimes como: lesão corporal (504 casos), abandono de incapaz (227 casos) e homicídio (11 casos), de acordo com a Secretária de Segurança Pública de Goiás (SSP).

Os crimes de ordem sexual, conforme a delegada Thaynara Andrade, vão desde a importunação até os atos físicos. O estupro de vulnerável, inclusive, ocorre quando o autor pratica conjunção carnal ou outros atos libidinosos com menores de 14 anos. 

“A maioria dos crimes ocorreram no âmbito familiar, doméstico. Não há um perfil, geralmente, as pessoas que praticam esse crime são do convívio da vítima, podendo ser pais, padrastos, tios, avós, primos ou amigos da família”, explicou.