Theodore Roosevelt e Marechal Rondon em um perigoso encontro na Amazônia

Em 1914, Theodore Roosevelt e Marechal Rondon partiram numa expedição científica pela Amazônia. A jornada quase levou o presidente americano e seu filho à morte

Theodore Roosevelt e Marechal Rondon na Expedição Roosevelt-Rondon | Foto: Divulgação/Curta!

Um dos presidentes mais importantes da história dos Estados Unidos e um dos militares mais consagrados pelas forças armadas brasileiras se uniram na que seria uma das maiores aventuras das vidas de ambos. Em 1914, Theodore Roosevelt e Cândido Rondon, conhecido como Marechal Rondon, partiram numa expedição científica batizada de Roosevelt-Rondon, ao lado de uma equipe de exploradores — inicialmente, eram 22 pessoas, entre elas Kermit Roosevelt, filho do ex-mandatário. Essa história, ricamente documentada, é contada no documentário “Expedição Roosevelt-Rondon”, que estreia com exclusividade no canal Curta!.

Com direção de Juliana Baraúna, Franklin Martins e José Roberto Sadek, o longa apresenta a narrativa de estudiosos brasileiros e estrangeiros sobre a viagem, que visava a percorrer o Rio da Dúvida — descoberto pelo próprio Rondon anos antes — para aferir se este era ou não um afluente do Rio Amazonas. Os dois líderes também queriam descobrir e catalogar espécies nativas de plantas e animais. O rio, que passou a se chamar “Rio Roosevelt”, encontra-se em plena selva amazônica, em uma região bastante remota.

O contexto brasileiro era o de uma república recém-proclamada, que visava à integração nacional, sobretudo de estados mais distantes da então capital, o Rio de Janeiro. Não havia, à época, ligação por terra e nem telegráfica com territórios como Goiás, Mato Grosso e Amazonas. Rondon é considerado o “pai das telecomunicações” no Brasil justamente por seu papel na expansão telegráfica no país após suas expedições nessas áreas. Roosevelt já havia sido presidente dos Estados Unidos, mas não foi reeleito nas eleições de 1912. Especialistas dizem que, talvez por uma necessidade de voltar aos holofotes e aproveitar seu poder de liderança, aceitou sem pestanejar o convite para participar da expedição sem ter muita noção dos riscos que corria.

A jornada do grupo foi duríssima e conflituosa. Rondon era mais experiente em expedições na selva, no entanto suas instruções nem sempre eram levadas em conta por Roosevelt e seu filho. As diferentes línguas também eram um entrave, e as decisões sobre as relações com os indígenas eram motivo de desentendimento. Enquanto Rondon pleiteava uma aproximação amistosa e respeitosa, Roosevelt os encarava como seres a serem civilizados e não dispensaria o conflito.

Além das diferenças, o grupo enfrentou outros revezes na selva amazônica: doenças como a malária, lesões e ferimentos, fome, animais selvagens, confrontos com indígenas e os perigos do próprio rio. Essas foram grandes ameaças que chegaram a ceifar a vida de alguns dos participantes e quase mataram o próprio Roosevelt.

Com um riquíssimo material de arquivo, contendo fotos e vídeos da época, o documentário “Expedição Roosevelt-Rondon” é uma produção da Cine Group viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). A estreia é na Sexta da Sociedade, 12 de novembro, às 22h45.

Uma resposta para “Theodore Roosevelt e Marechal Rondon em um perigoso encontro na Amazônia”

  1. Avatar IRAPUAN COSTA JUNIOR disse:

    O episódio rendeu um livro da escritora americana Candice Millard: The River of Doubt. Foi traduzido para português e laçado pela Companhia das Letras em 2005, com o título de O Rio da Dúvida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.