As 13 maiores duplas sertanejas de todos os tempos

Valor histórico, proposta estética e representatividade pelo tempo de estrada são alguns dos critérios que incluíram e também deixaram importantes duplas de fora

Ademir Luiz
Especial para o Jornal Opção

Meu pai, o senhor Adair Luiz da Silva, praticamente só escutou música sertaneja a vida toda. Desconhece ou despreza solenemente outros gêneros. Suas raízes rurais foram tema do documentário “O Homem do Morro Feio (terra não se vende, se puder é comprar)”, disponível no YouTube. Observei-o atentamente durante a catarse coletiva gerada pela trágica morte do cantor urbano sertanejo universitário Cristiano Araújo.

Sempre que apareciam imagens de arquivo com apresentações do falecido ou de algum sertanejo contemporâneo homenageando-o, ele comentava: “Mas isso é muito ruim!”. Por ser um homem do campo e não um dândi cosmopolita como Zeca Camargo fica impossível patrulhá-lo, lhe negando o direito de criticar e expor a indigência artística de grande parte da atual geração de “artistas” sertanejos.

Farejando um bom tema para um artigo, perguntei-lhe: “Do que o senhor gosta?”. Não, ele não respondeu “churrasco, bom chimarrão, fandango, trago e mulher, é disto que o que velho gosta, é isso que o velho quer”. O resultado foi uma longa conversa, onde surgiram os mais diversos nomes. A maioria do passado, claro, trata-se de um saudosista. Mas nem sempre. Não nega por antecipação os novos valores, se são de fato talentosos ou interessantes. É admirador, por exemplo, da jovem dupla Mayck &; Lyan, dos violeiros sul-mato-grossenses Batô & Fernando e da cantora Paula “Sandy 2.0” Fernandes (da música também).

Inspirado nessa conversa, mas indo além dela, para não ficar restrito ao gosto pessoal de um indivíduo, por mais entendedor que seja, elaborei uma lista pragmática do que seriam as 13 maiores duplas sertanejas de todos os tempos. Maiores, não necessariamente melhores. O resultado surgiu de uma complexa equação envolvendo valor histórico, influência, permanência, proposta estética e representatividade em seu período de atuação. Por esses critérios, infelizmente, ficaram de fora duplas importantes como Zilo &; Zalo, Zico & Zeca, Cacique & Pajé, Mococa & Moraci, Palmeira & Biá, Zé do Rancho & Zé do Pinho e Silveira & Silveirinha; boas duplas femininas como Irmãs Freitas, Irmãs Galvão e As Marcianas; cafonas legais como Duduca & Dalvan, Matogrosso & Matias e João Mineiro & Marciano; e mesmo estrelas platinadas como Leandro & Leonardo e João Paulo & Daniel. Duplas competentes da atualidade, como Victor & Leo (não consigo me lembrar de outra), também, por ainda não terem estrada suficiente.

Por focar somente duplas, não foram inclusos personagens fundamentais como Renato Teixeira, Rolando Boldrin, a grande dama Inezita Barroso; e trios como o Da Vitória, o Parada Dura e Os Filhos de Goiás.

Tião Carreiro1 – Tião Carreiro & Pardinho
Para muitos, e eu concordo, trata-se da melhor dupla caipira de todos os tempos. Mais do que artistas, estão no domínio das lendas. Tião Carreiro foi o Pelé dos violeiros, sendo impecável em todos os fundamentos de sua arte. Pardinho é seu Coutinho, o melhor e mais entrosado parceiro que o Rei do Futebol teve nos anos de ouro do Santos. Entre seus muitos clássicos estão “Pagode em Brasília”, “Rio de Lágrimas” e a insuperável interpretação de “Rei do Gado”.

Tonico e Tinoco2 – Tonico & Tinoco
Tornaram-se sinônimo de dupla caipira, protagonizando filmes e co­mandando o célebre programa de televisão “Na Beira da Tuia”. Nu­ma justa homenagem, estrelaram um episódio do prestigiado programa “Ensaio” da TV Cul­tura, lançado em DVD, onde re­lembraram suas vidas e carreira. Mui­tas de suas músicas entraram para o imaginário coletivo, como “Cana Verde”, “Baile na Roça” e “Chico Mineiro”.

Zé Carreiro3 – Zé Carreiro & Carreirinho
Foi a primeira dupla citada por Adair Luiz quando lhe perguntei quais eram as melhores. Realmente, nem sempre são lembrados como mereciam. O repertório com pérolas como “Peito Sadio”, “Canoeiro” e “Pagode” comprava que estão entre os grandes.

Belmonte4 – Belmonte & Amaraí
Talvez a mais lírica e romântica entre as duplas caipiras da velha guarda. Seu repertório está repleto de músicas sobre amores perdidos e saudades de um campo que não existe mais. Destaca-se nesse rosário de lamentações “Saudade de minha terra”, “Lágrimas da Alma” e “Esquina do Adeus”.

Pedro Bento & Zé da Estrada5 – Pedro Bento & Zé da Estrada
Dupla fortemente influenciada pela música mexicana. Inclusive no visual, ostentando grandes chapéus e coletes pretos de mariachis. Entre seus melhores trabalhos estão “Mágoas de boiadeiro”, “Boneca Cobiçada” e a saga épica “Os Três Boiadeiros”.

Liu & Leo6 – Liu & Leo
Uma das duplas com a carreira mais longeva e aclamada da lista. Em seu vasto repertório só não aprovo a gravação da fraca “O Rei do Café”, dispensável resposta para “O Rei do Gado”, que apesar de tudo fez sucesso. Felizmente, para compensar essa bobagem, Liu & Leo possuem no currículo obras de arte como “O Ype e o Prisioneiro”, “Sementinha” e a impagável “Prato do Dia”.

Cascatinha & Inhana7 – Cascatinha & Inhana
Casamento perfeito de vozes. In­fluenciaram diversas gerações de duplas compostas por um cantor e uma cantora. Ne­nhuma chegou ao mesmo nível. Cas­catinha & Inhana, apesar do estilo brejeiro, conseguiam imprimir certa sofisticação a músicas que facilmente poderiam resvalar no cafona. Essa habilidade pode ser observada nas gravações que fizeram de “Flor do Cafezal”, “Colcha de Retalhos” e “Índia”.

Pena Branca & Xavantinho8 – Pena Branca & Xavantinho
Artistas intuitivos de extrema sofisticação, os irmãos Pena Branca & Xa­vantinho conquistaram o respeito de me­dalhões da MPB, como Chico Buarque e Milton Nascimento. Fize­ram interpretações definitivas de clássicos como “Cio da Terra”, “Calix Ben­to” e “Cuitelinho”, talvez o mais belo tema recolhido do folclore brasileiro.

Léo Canhoto & Robertinho9 – Léo Canhoto & Robertinho
Inovadores estéticos, foram os principais responsáveis por incorporar batidas de rock no sertanejo. Também inovaram no visual, ostentando cabelos longos e óculos escuros. O disco que gravaram interpretando rádionovelas de faroeste é impagável como diversão descompromissada. Entre seus tiros certeiros estão “O Último Julgamento”, “O Lobisomem” e a hilariante “História de um azarado”.

Milionário & José Rico10 – Milionário & José Rico
Espécie de Raul Seixas do sertanejo. Mesmo quem não gosta de rock conhece e cantarola músicas do Raul. Mesmo quem não gosta de sertanejo conhece e, por reflexo condicionado, cantarola músicas de Milionário & José Rico. Em todo caso, é preciso respeitar uma dupla que mereceu estrelar um filme dirigido pelo único cineasta que se habilitou como imortal da Academia Brasileira de Letras, Nelson Pereira dos Santos, o longa-metragem “Estrada da Vida” (1979). Entre suas mais ricas interpretações estão “Sonho de um caminhoneiro”, “Duas camisas” e, claro, “Estrada da Vida”.

Christian & Ralf11 – Chrystian & Ralf
Conhecidos pela afinação e senso de humor, adotaram sem pudores o estilo “cowboy do asfalto”, ajudando a divulgar o sertanejo entre a classe média urbana, que até então se envergonhava de consumir músicas de duplas mais antigas. Ao mesmo tempo, sempre fizeram questão de exaltar os pioneiros do gênero, como quando homenagearam Tião Carreiro na regravação que fizeram do clássico “Amargurado”. Com eles se tornou elegante e “cult” gostar de modas de viola. Seus melhores momentos incluem “Boiada”, “Hino de Reis” e “A Lenda do Caipora”.

Chitãozinho e Xororó12 – Chitãozinho & Xororó  
Os irmãos Mozart da música sertaneja. Verdadeiros meninos prodígios, começando a carreira na infância (o primeiro disco oficial é de 1970). Foram os maiores responsáveis pela massificação do gênero, urbanizando o sertanejo ao amalgamá-lo de forma definitiva com a música romântica. Abriram as portas das rádios FM’s e TV com a música “Fio de Cabelo”, a partir de 1982. Privilegiar timbres agudos virou tendência desde então, influenciando inclusive o Sertanejo Universitário. Dividem opiniões, os puristas nem sempre aprovam, mas a importância histórica da dupla é inquestionável. Entre seus hits estão “No rancho fundo”, “Somos assim” e “Falando às Paredes”.

Zezé Di Carmargo & Luciano13 – Zezé di Camargo & Luciano
Amados e odiados na mesma proporção. São freqüentemente acusados de serem os precursores da mediocridade reinante no atual cenário sertanejo. Os gritos de Zezé, as veias saltando do pescoço, entraram para o anedotário. O fato é que conquistaram o status de super-stars, chegando a gravar com Julio Iglesias, e certa respeitabilidade cultural quando do lançamento do bom filme biográfico “2 Filhos de Francisco”. Da trilha sonora do filme, saiu um de seus bons momentos, “No dia em que sai de casa”. Vale lembrar a regravação de “Serafim e seus filhos” e, para ódio de muitos, o hit pegajoso “É o amor”. Na dúvida, escutem na versão da Maria Bethania.

Menção Honrosa

14 – Pirilampo e Saracura
Sim, essa dupla não existe. São personagens da novela “O Rei do Gado”. Mas a parceria entre o talentosíssimo violeiro Almir Sater e o mestre do carisma Sérgio Reis não poderia ser ignorada. Suas versões de “Boiadeiro errante”, “Magoa de boiadeiro” e, claro, “O Rei do Gado” são excepcionais, dignas dos mestres que os inspiraram.

Ademir Luiz é doutor em História pela Universidade Federal de Goiás e professor da Universidade Estadual de Goiás (UFG). Realizou pós-doutorado em Poéticas Visuais e Processos de Criação. Docente do programa de mestrado interdisciplinar Territórios e Expressões Culturais no Cerrado (TECCER).

43 Comment threads
15 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
48 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Salu

Muito Bom! Vai repercutir. E causar polêmica também… muitos não irão concordar com a lista, apesar das ótimas (e engraçadas) justificativas. O resultado da “complexa equação envolvendo valor histórico, influência, permanência, proposta estética e representatividade em seu período de atuação” na ponta do meu lápis faz, por exemplo, com que não concorde com a inclusão de alguns nomes e a exclusão de outros. Nomes como Raul Torres e Florêncio, grandes intérpretes das músicas do lendário João Pacífico, que atuaram por trinta anos, até o ano de 1970, que eternizaram clássicos como “Cabocla Tereza”, “Pingo d’água” e “A moda da mula… Leia mais

Adalberto De Queiroz

Amigo Ademir,
Que pena não ver aqui citada a minha dupla tradicional mais amada : Cascatinha & Inhana. Assim, a 13a. poderia ser reformulada – saindo os desbravadores do estilo nuevo – para dar lugar a essa antológica dupla. Abaixo, verbete do Dicionário Albin.
http://www.dicionariompb.com.br/cascatinha-e-inhana

Ricardo

Mas tem Cascatinha & Inhana. Está na sétima posição.

Fábio Luiz

Parabéns, muito bem definida esta lista. São duplas que cantam e cantavam o verdadeiro sertanejo. Hoje infelizmente novos cantores estão sujando a imagem de um dos gêneros musicais que marcou época de uma tal maneira, que só quem realmente sabe o que é o verdadeiro sertanejo sente que cada dia vai ficando extinto.

manoel santos

se tem zezé di camargo e Luciano poderia uma dupla que foi melhor que eles Leandro & Leonardo

Jurandir Agleet

Incrivel Vieira e Vieirinha estar de fora.

João Pedro Meschiatti

Só faltou Victor e Leo , maiores compositores brasileiros da decada de 2000

Romario

Estamos falando de cantores de vdd. Não essas drogas universitarias

Sandro

faltou Jorge e Mateus

José Silva

Esta lista é pessoal e não há nada de errado com ela. Se pedissem para um garoto de 18 anos faze-la, provavelmente 80% dela seria composta por “cantores” da atualidade. Este terreno é controverso e resta-nos subir na arquibancada da vida e contempla-los. Não importa o que digamos, o momento pertence a esta turma que está aí, que pessoalmente rejeito veementemente, até que algo bom possa florescer neste pântano!

Euripedes

Muito bom, com reparos: Ademir Luiz, lógico que respeito o seu direito de expressar e emitir opiniões, principalmente com boa percepção. Porém, se pede comentário indistintos, acrescentaria: As duplas apresentadas e, a maioria ou quase todas; sim, entre as melhores de todos os tempos. No entanto é preciso clarear: só foram maiores justamente porque melhores; ou, no dueto harmônico; ou sobressaindo nos graves e agudos; ou, sobretudo pelo timbre diferenciado que um deles possa ter. Sem o que, jamais se eternizariam. Ou seja, em música – uma das 04 artes puras – só se é maior se tiver boa voz… Leia mais

Reinaldo de Souza Roma

Xexé de Camargo e Luciano, chitaozinho e chororó, Crustian e Ralf, esse cara está e sacanagem . Fala sério !!!!

Lima

Sulino e marrueiro

veira silveiradonizete de oli

E isso mesmo turma faltou mais dupla mas graças ao bom Deus que nao colocaram esse Sertanejo Otario.

Rafael santos

Vergonhoso, Ridico, como podem deixar de fora a melhor dupla de todos os tempos Leandro e Leonardo,
Leandro e Leonardo venderam muito mais discos que zezé e luciano, fizeram turne no Japão, Leonardo é o Unico cantor sertanejo dessa época que continua fazendo sucesso, e arrastando multidões por onde passa,
pelo Amor de Deus isso chega a ser nojento.

Valdirene Gutierrez

Vivemos em uma democracia onde todos temos o direito de expressar gostos e idéias,e nos é dado também a opção de sermos educados,mas infelizmente nem todos sabem disso.

Benedito Santos

Concordo 1000% quanto a Tião Carreiro e Pardinho ser a melhor dupla sertaneja de todos os tempos. Também concordo com a lista até o número 10. As 3 últimas duplas poderiam ser facilmente substituídas por muitas outras, por exemplo, João Mineiro e Marciano, Lourenço e Lourival, Matogrosso e Matias, Zé Carreiro e Carreirinho, Zé Tapera e Teodoro. Mas, como foi dito, é pra gerar polêmica. Abraços!

Danirl

Nenhum desses chegam aos pes de Jorge e Mateus

Hélcio

Jorge e Mateus não é sertanejo, universitários não toca músicas sertanejas.

Romario

Tião Carreiro e Pardinho nem são uma legítima dupla sertaneja. A melhor de todas éa Dupla Coração do Brasil(Tonico e Tinoco)

João

Primeiro: Pena Pranca e Xavantinho, segundo Duduca e Dalvan, terceiro: Gilberto e Gilmar,.

Danirl

A melhor dupla de todos os tempos é Jorge mateus

Jana

Boa noite!Sei que o assunto não é este,porém é praticamente impossível pra mim deixar passar a oportunidade de tirar uma dúvida,vendo que estou rodeada aqui por pessoas c vasto conhecimento sobre a música sertaneja,além do fato do Sr Ademir ser Goiano.Será que o senhor poderia criar um tópico sobre musica sertaneja no estilo DUETO GOIANO?Não tem nada a respeito na internet, e ao meu ver é algo q vale a pena de falar.Agradeço a oportunidade.Grande abraço!

claudio

eu concordo que Tião carteiro e padrinho está em primeiro lugar mas data venha milionário é josé rico é sem dúvida em segundo lugar se não for primeiro.afinal foi eles que levaram a música sertaneja pro outro lado do mundo.

Romario

Meu caro,a melhor é Tonico e Tinoco,não atoa são a “Dupla Coração do Brasil”, eles são a mais tradicional.

José de Freitas Machado

concordo tambem que a dupla foi destaque nacional e mundial, uma pergunta quero fazer aos responsaveis pela a lista de artista sertanejo de raiz: porque nao menciona o nome da dupla André & Andrade

Romario

Só colocar o Tônico e Tinoco em 1ª. O resto concordo

jose

Em se tratando de raiz vejo que os senhores talvez não tenham acompanhado o desenvolvimento da nossa musica caipira .Pois alguns dos citados por vocês nunca foram caipiras e sim lançadores do romantismo ai sim .Enquanto isso vocês deixaram de fora os grandes representantes da cultura cabocla.

Odair

A música caipira sertaneja brasileira sempre foi , a mais ouvida e mais vendida no país. Desde o início até agora.
Não é a toa que a campanha política de Getúlio Vargas foi com shows da dupla Vieira e Vieirinha, e até o rei Roberto Carlos colocou música de Léo canhoto e Robertinho, no filme dele. Sem falar dos compositores, que com suas letras
O homem do campo da roça e até mesmo aqueles da cidade que não sabia ler e nem escrever, entendiam facilmente cada palavra e história escrita por esses grandes autores.

Odair

A música caipira sertaneja brasileira sempre foi a mais ouvida e mais vendida no país, desde o início até os dias de hoje. Tanto que a campanha política de Getúlio Vargas foi com a dupla Vieira e Vieirinha, e até o rei Roberto Carlos colocou música de Léo canhoto e Robertinho em seu filme. Agora a maior ou melhor dupla fica difícil porque cada uma tem seu estilo músical, e cada pessoa tem sua preferência. E foi essas diferenças de estilos músical das duplas caipiras sertanejas que o brasileiro gostou. Teve anos que Tonico e Tinoco foi os que venderam… Leia mais

Maicon

Tem muitos importantes artistas da música caipira que não foram citados, mais o N° 1 da lista deveria ser CORNÉLIO PIRES. O Pioneiro responsável por conseguir convencer os produtores da RCA Victor em 1929, a gravar músicas do gênero (sendo que estilos como: Boleros, Valsas, Tangos e Músicas clássicas reinavam na época), e que logo após alguns anos surgiria a dupla que mais vendeu discos no Brasil TONICO & TINOCO Com mais de 150.000.000.

Malaquias

Lógico que tem muitas duplas e cantores sertanejos que faz muito sucesso hoje! Como Gusttavo Limais, Fernando e Sorocaba, Jorge e Matheus e Henrique e Juliano! Mas o jovem que não gostar de Chitãozinho e Xoróró, ZéZé dia Camargo e Luciano e Bruno e Marrone, pode se considerar que não entendem nada de sertanejo. Pois estes são os mais feras que eu conheço e mais gosto.

JOSE DOS REIS GARCIA

A SUA LISTA EU DIRIA QUE ESTÁ QUASE PERFEITA ,NA MINHA HUMILDE OPINIÃO , EU
ACHO QUE ESTÁ FALTANDO UMA DUPLA AI , ELES FORAM OS REIS DA CATIRA , VIEIRA E VIEIRINHA , MAS NESSE CASO TERIA QUE SER 14 DUPLA NÉ . ENTÃO SUA LISTA ESTA CORRETA .

Washington

Impossível fazer um Top 10 duplas sertanejas do Brasil sem incluir Leandro e Leonardo. Leandro e Leonardo foram os responsáveis por levar a música do campo para as grandes cidades na década de 90, e são recordistas de vendas em discos. Ultrapassaram a marca de 3 milhões em dois álbuns. Fizeram carreira internacional em mais de 20 países de língua espanhola.

Ricardo

É música romântica, não música caipira. Até tinha alguma qualidade, mas a maioria dos sucessos eram versões toscas de sucessos internacionais. Nâo tem que figurar em nenhuma lista, a não ser a lista das duplas comerciais de música “romântica”.

Katinha

Zeze e Luciano tb é música romantica

Washington

Vou deixar um link de um vídeo bem resumido com a história de Leandro & Leonardo

Valdirene Gutierrez

Perfeita até Chrystian e Ralf

Joao Paulo

vish ta faltando cantor de mais ai.. esse povo parece que nao entende de sertenejo mesmo

luiz nuno leal

tem gente boa ai, mas Moreno e Moreninho, zico e zeca, abel e caim, alem de jaco e jacozinho, nao podem ficar fora de nenhuma lista.

Gerson

Sr Ademir, muito grato por trazer à lembrança nomes tão Importantes da nossa música sertaneja. Colocaria na lista, se o sr me permite, uma das duplas mais afinadas de todos os tempos, com mais de 40 anos de estrada: Durval e Davi
Obrigado

Mario

para mim melhor dupla foi milionário e José Rico, sem dúvidas , se manteve no auge até oh fim da vida.

Rocha Aricson

Cara mais maluco, nao percebe nada da Musica Sertanejo, onde ja se viu deixar à melhor Dupla de todos os tempos d fora… Leandro & Leonardo, para mais é de fumar maconha …

Bernardo

Muito bem feita, independente da ordem, parabéns! Leandro e Leonardo poderia estar numa menção honrosa ou no lugar do Cristian & Ralf que eu gosto também mas está na minha opinião um pouco abaixo de L & L.

almiro rodrigues

nem tenho o que comentar em termo de musica caipira sertaneja estao a base certa ,agora o sertanejao e miliomario e jose rico os reis do sertanejao o que esses dois fizeram pela musica sertaneja e imprecionante e muito grande a historia desses dois Deus abençoe

Bernardo

Na minha opinião a ordem seria essa:

1- Chitãozinho & Xororó
2- Milionário & José Rico
3- Tonico e Tinoco
4- Tião Carreiro e Pardinho
5- Zezé di Camargo e Luciano
6- Belmonte e Imaraí
7- Zé Carreiro e Carreirinho
8- Liu e Leo
9- Pedro Bento & Zé da Estrada
10 – Leandro e Leonardo
11 – Pena Branca & Xavantinho
12- Léo Canhoto & Robertinho
13- Cascatinha & Inhana

Antônio Carlos da Rosa.

A melhor foi Jaco e Jacozinho.

Manormando Francisco de Mello

Faltou Dino Franco e Morais, CAÇULA E MARINHEIRO, ZÉ FORTUNA E PITANGUEIRA.

Manormando Francisco de Mello

Sugiro que cada um faça sua lista,farei a minha,e todos os da minha lista,eu os vi pessoalmente,vamos lá:1-Tiao Carreiro e Pardinho.2-Belmonte e Amaraí.3-Cacula e Marinheiro.4-Dino Franco e Morais.5-Silveira e Silveirinha.6-Serrinha e Caboclinho.7-Campanha e Cuiabano.8-Milionario e Zé Rico.9-Cascafinha e Nhana.10-Mato Grosso e Matias.11-Joao Mineiro e Marciano.12-Duduca e Dalvan.13-Ramoncito. Gomes.14-Ze Fortuna e Pitangueira.15-Jaco e Jacozinho.16-Leo Canhoto e Robertinho.17-Liu e Léo.18-Zilo e Zalo.19-Zico e Zeca.20-Vieira e Vieirinha.Etc e etc.

marcio riguette

Meu único senão nesta lista é que Tonico e Tinoco deveria ser 1º lugar e Belmonte e Amaraí o 2º.

José

Duplas sertanejas vivas: Craveiro e Cravinho, Mogiano e Mogianinho. Tem outras duplas antigas que estão na ativa, fazendo shows e são a verdadeira música sertaneja, empunhando a viola, que é o instrumento da música sertaneja.

Eder Corvalão

Gostei da lista, esqueceram de avisar que ALVARENGA e RANCHINHO, não podem entrar em lista alguma por seres “Hors-Concours” . Feita esta ressalva, ai vem os demais

lazaro carneiro

respeito por ser uma seleção pessoal ,mas me parece incompleta e disfocada ao deixar de lado duplas como Zilo e Zalo e outros.
As duplas modernas sitadas tem la os seus valores mas não caberiam nesta lista.

Ennio

Interessante sua abordagem, professor, muito válida! Mas faltou uma dupla que tem importância histórica, estética e de influência: Raul Torres e Florêncio. As composições de Torres (muitas delas com João Pacífico) foram regravadas infinitas vezes e ainda hoje estão presentes no imaginário popular: A moda da mula preta; Pingo d’água; Cabocla Tereza; Chico Mulato, são algumas. Torres e Florêncio influenciaram ninguém menos que Tonico e Tinoco e Tião Carreiro e Pardinho. Outra dupla que faltou, pelos mesmos critérios, foi Jacó e Jacozinho. Ajudaram a solidificar o pagode criado por Tião Carreiro e introduziram um estilo de cantar que influenciou Chitãozinho… Leia mais

LUCIANA SOUZA

Poderia fazer uma lista atual. Será que nao existe ninguem que valha a pena?

Gostei da menção honrosa!

sharlon

hoje em dia não se lança mais duplas sertanejas. são todos podrutos de empresários que visam apenas lucro, pode ver que por mais sucesso que esta duplas “sertanejas” ( se assim pode ser chamadas, pois muitos, nunca sujaram as botas de barro em um campo, e nem amor tem pela cultura caipira) fassa nunca passa de um ano . e estas duplas de hoje só erdaramo nome sertanejo por que eram o que tinha de mais popular no momento. Pois por mais universitario que se possa ser, pra seguir como o sendo mesmo gênero deve erdar algo da raiz do… Leia mais

Bastião

Ótima lista. Eu só colocaria Tonico e Tinoco em primeiro, jã que Tião Carreiro e Pardinho nos anos 80 se inclinaram mais pro lado romântico, enquanto que poucas duplas se mantiveram no raiz até a morte, como Vieira & Vieirinha, Moreno & Moreninho e Jacó & Jacozinho

milton fonseca

Em minha ótica faltaram outras duplas como: Zé Fortuna e Pitangueira , Goiano e Paranaense , Lourenço e Lourival , Tibagi e Miltinho , etc etc etc.