O ex-presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de Goiás (Aceeg) Ney Fernandes morreu neste domingo, 7, em Goiânia. Ele tinha 90 anos e teve falência múltipla dos órgãos.

Ney Raimundo Fernandes era gaúcho de São Leopoldo, cidade a 38 quilômetros de Porto Alegre, e veio para Goiânia para ser treinador de futebol, depois de ser jogador no futebol do Rio Grande do Sul – jogou, entre outros clubes, no Grêmio e no Aimoré, de sua cidade, onde iniciou e encerrou a carreira, perdendo espaço para ninguém menos que Mengálvio, o lendário meia do incrível Santos de Pelé. Como técnico, dirigiu todas as grandes equipes da capital e foi campeão estadual com o Vila Nova, em 1963, e com o Goiânia, em 1968.

Depois dessa etapa, tornou-se comentarista esportivo, trabalhando em várias emissoras e programas esportivos de rádio e de TV em Goiás. Ao microfone, Ney era tido como um profissional vibrante. Tinha como o slogan ‘o grande técnico de ontem, o perfeito comentarista de hoje. “Foi um grande comentarista esportivo, com quem trabalhei em diversas oportunidades, e tinha uma opinião forte. Perdi um amigo”, ressaltou o também radialista José Carlos Lopes.

“Ele foi um dos grandes presidentes da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de Goiás. Organizou a entidade e valorizou a categoria”, ressaltou, em nota, o atual presidente da Aceeg, Lucimar Augusto.  Ney Fernandes está sendo velado no Cemitério Jardim do Cerrado, na saída para Trindade, onde seu corpo será cremado às 15 horas.